sábado, 30 de maio de 2009

Conheça São Paulo! Parque do Ibirapuera

Quem acredita que São Paulo é uma Selva de Pedra sem áreas verdes está enganado. A cidade abriga diversos parques e praças bem estruturados, com instalações esportivas, restaurantes/lanchonetes, áreas de piquenique, lagos, fontes, etc. Um desses “oásis” é o Parque do Ibirapuera.

Ibirapuera significa “pau podre ou árvore apodrecida” em Tupi e se refere ao terreno alagadiço que existia na região do parque, antes dele sair do papel. Na década de 20, idealizou-se a construção de uma área de lazer semelhante às de grandes cidades, como o Hyde Park, de Londres, ou o Central Park, de Nova York. Entretanto, as condições do terreno impediram que a idéia seguisse em frente, até que um funcionário da prefeitura, conhecido como Manequinho Lopes, resolveu iniciar o plantio de centenas de eucaliptos australianos, numa tentativa de drenar o solo. A idéia deu certo e em 1951 criou-se uma comissão para levar o projeto adiante e o arquiteto Oscar Niemeyer foi incumbido do projeto arquitetônico do Parque. O Ibirapuera foi entregue a São Paulo no dia 21 de agosto de 1954. Atualmente é o parque mais visitado e o que apresenta o maior número de atrações, entre elas: Planetário, Museu de Arte Moderna (MAM), Pavilhão da Bienal e Fonte “Luminosa”.

Sabia de tudo isso antes de sair de casa para passar o dia no Ibirapuera. Mas o que eu encontrei superou em muito a minha expectativa. O Parque é enorme! Existem dois lagos lindos, um deles com a tal da fonte que é, realmente, de encher os olhos. Percebe-se que toda a área verde foi muito bem projetada. Além de vários locais para esticar uma toalha e deitar na grama, existe um verdadeiro complexo esportivo, que as pessoas realmente utilizam (as quadras e pistas ficam lotadas!). Existem vários caminhos que se cruzam e cada um deles te leva para um canto bem diferente do Parque. Banheiros (limpos!) e lixeiras estão presentes em todos os locais. Pode-se encontrar todo tipo de gente em todo tipo de atividade: gente fazendo caminhada/corrida, gente namorando, gente passeando com o cachorro, gente andando de bicicleta, gente visitando os diversos museus e atrações, gente cantando, gente empurrando carrinho de bebê, gente meditando... mas é tanta gente que dá até pra ficar meio bobo, observando a multidão (tá certo que eu fui no feriado e o parque estava BEM cheio). Mas o que mais me chamou a atenção é como se perde a noção da cidade ao redor do Parque. Dentro do Ibirapuera quase não se percebe barulho de carro e poluição, por mais que se ande por todo lado.

Estendi o meu mapa do parque no chão (não tinha levado toalha por imaginar que ninguém estaria deitado na grama em um parque), sentei, encostei numa árvore e fiquei tal qual um lagarto tomando sol. Fiquei a tarde toda assim, me arrastava de árvore em árvore, me esticava, espreguiçava, só levantava pra ir assistir uma apresentação no Planetário, mas logo voltava e fazia um cafofinho aproveitando o tempo bom e a paz do local!

O Parque do Ibirapuera é um refúgio para todos que querem se livrar um pouco da cidade. Uma verdadeira jóia em São Paulo.

6 comentários:

Daniel Dutra disse... [Responder comentário]

Oi, amiga! Só hj vi a chamada do seu blog. E adorei conhecer SP narrada por suas experiências e saber das suas peripécias nessa sua jornada... O seu povo, no que me diz respeito, tb esta com muita saudade de vc, das suas estórias e das suas risadas! Gd abraco, Daniel

Anônimo disse... [Responder comentário]

Momô!

Cristiane disse... [Responder comentário]

Ana, você acredita que nunca entrei no Parque do Ibirapuera? Só passei ao lado, algumas vezes.

A Oca fica é dentro dele, não é?! Uma vez teve exposição de Picasso (eu acho) e quase fomos. Deu vontade de ir pelo seu relato.

Um grande beijo!

Ana Lucia disse... [Responder comentário]

A Oca fica lá sim, Cris! Quando você vier a SP a gente vai ao parque ficar que nem calango no sol! hehe

Vinícius disse... [Responder comentário]

Ahh... Aff... Parece tão legal... Algum dia ainda vou pra SP!

Erika - Ká disse... [Responder comentário]

Lulu!!
Uau, que belíssimo blog! Acabo de conhecer uma nova Analu, ou melhor, ter o prazer conhecer você um pouco mais. E confesso que fico encantada por isso.
Te dou a maior força em manter esse espaço, tão recente e também tão intelectual, adoro!
Sou de Sampa e não conheço direito minha cidade, certeza que até conheço melhor outras capitais.
E algo importantíssimo: você já leu um livro do filho da Sagan com a ex-mulher dele, a super Margulis? São três: O que é vida, o que é sexo e o que é morte. Eu tenho "O que é vida?", o livro mais emocionante do mundo para um biólogo, que deveria ser obrigatório na graduação! Se não tiver, por favor permita-me te emprestar, tenho certeza absoluta que você irá amar!
Um beijo grande!

Related Posts with Thumbnails