sexta-feira, 26 de junho de 2009

Darwin e a Origem das Espécies

Este ano comemoramos 200 anos do nascimento de Charles Darwin e 150 anos da divulgação da sua "Origem das Espécies". Darwin foi um grande pensador! Seu trabalho mudou a visão geral de que todos os seres eram imutáveis, mostrando que os seres vivos evoluíam e eram provenientes de ancestrais comuns. Mas não vou ficar repetindo detalhadamente o que todos já sabem sobre a Teoria da Evolução. Hoje quero falar um pouco da vida do homem por trás do cientista.

Charles Darwin nasceu em 12 de fevereiro de 1809 na Inglaterra, numa família rica. Desde pequeno sempre se interessou pelo naturalismo, mas, por pressões de família, foi estudar Medicina na Universidade de Edimburgo. Não conseguiu se adaptar ao dia-a-dia de cirurgias (sem anestesia) e aproveitou mais o seu tempo como participante de sociedades estudantis para naturalistas. Nas suas aulas de taxidermia, seu professor (um ex-escravo negro) lhe contava inúmeros casos interessantes sobre florestas tropicais da América do Sul. Seu pai, decepcionado com a falta de interesse do filho pela profissão de médico, enviou-o para Cambridge, para que ele se tornasse um clérigo. Novamente Darwin apresentava mais aptidão para observar besouros do que para estudar. Sua chance de levar à frente sua observação da natureza surgiu quando foi indicado como naturalista para o capitão do barco Beagle, que partiria numa viagem de 2 anos no intuito de mapear a costa da América do Sul.

Tal viagem acabou durando 4 anos e 9 meses. Nesse tempo Darwin visitou diversas regiões (inclusive o Brasil) e estudou metodicamente muitas espécies, várias delas ainda não descritas. Quando o cientista voltou à Inglaterra seu trabalho de naturalista já era conhecido. É preciso ressaltar que, a princípio, Darwin acreditava na teoria vigente, de que as espécies foram criadas e não evoluíam. Entretanto, suas observações o levaram a acreditar que a evolução dos seres vivos era impossível de ser negada. Naquela época, idéias como essas eram consideradas radicais e ofensivas, já que feriam o que dizia a religião.

Como Darwin não gostava de expôr e defender suas idéias em público, começou a escrever seu "livro secreto", onde tentava explicar como seria o processo de transmutação das espécies. Sua saúde se deteriorava com o passar dos anos e o naturalista, depois de fazer uma lista de prós e contras, resolveu se casar. Dizem que na tal lista estavam presentes nos prós: "companhia constante e um amigo na velhice que será melhor do que um cão" e nos contras: "menos dinheiro para livros e uma terrível perda de tempo".

Darwin casou-se com uma prima e teve 10 filhos, 3 dos quais morreram precocemente e vários que atingiram notoriedade. Muitos apresentaram doenças, que ele acreditava serem causadas pelo fato de ter se casado com alguém de sua família. Durante toda a sua vida, Darwin foi desenvolvendo e aprimorando sua Teoria da Seleção Natural e Evolução das Espécies, que só foi apresentada abertamente ao público tardiamente, após receber a compilação das idéias de Alfred Russel Wallace, que chegava praticamente às mesmas conclusões sobre evolução.

A publicação de Darwin gerou uma enorme controvérsia e uma verdadeira "guerra" entre grupos que condenavam a evolução (a maior parte) e a apoiavam. Vários cientistas que acreditavam nas idéias de Darwin as defendiam ferozmente, já que o próprio cientista não gostava de se manifestar, entre eles Thomas Huxley, mais tarde conhecido como o " buldogue de Darwin". O confronto mais famoso entre os grupos aconteceu em um encontro da Associação Britânica para o Avanço da Ciência, em Oxford. Diz a lenda que houve um embate acalorado entre Thomas Huxley e o bispo de Oxford: Samuel Wilbeforce. Quando Wilbeforce levou a discussão para um âmbito pessoal e perguntou a Huxley se ele descendia de macacos pelo lado da mãe ou do pai, este lhe respondeu que preferia ser descendente de um macaco, que de um homem educado que usava sua cultura e eloquência a serviço do preconceito e da mentira. Logo a notícia se espalhou de que Huxley preferia ser um macaco a um bispo!

O trabalho de Darwin tornou-se um marco e modificou o pensamento científico enormemente. O naturalista contribuiu com várias outras publicações antes de falecer, em 19 de abril de 1882

Para ler mais a respeito de Charles Darwin, visite http://sandroestevao2008.blogspot.com/2009/02/charles-darwin-200-anos-depois.html, blog de onde foi retirada a maior parte das informações.
Ou vá direto à fonte: http://darwin-online.org.uk/

OBS: E não.. a gente não evoluiu do macaco, mas sim de um ancestral comum às duas espécies.

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails