sábado, 6 de junho de 2009

Arte que encanta

Sempre aceitei o fato de eu ser uma daquelas pessoas não muito ligadas à Arte. Quando tive a oportunidade de estar frente a quadros de pintores famosos, nunca me demorei mais do que 10 segundos (se muito) admirando cada um deles. Eu adoraria sentir a emoção que tanta gente sente ao entrar numa exposição de Picasso, por exemplo, mas é até mesmo um tanto frustrante admitir que não me sensibilizo com as telas. Cheguei até mesmo a sentir uma tristeza ao visitar o Guggenheim Museum em NY, um sentimento de perda de tempo e de inaptidão para apreciar a arte que o mundo todo preza.

Gosto de quadro que representa a realidade como eu a vejo. Gosto de paisagens que parecem paisagens, de gente que tem a forma verdadeiramente humana. Os traços precisos, esses sim, me encantam. No fundo acho que não é uma questão de não se sensibilizar com a Arte, mas sim de gostar de um tipo específico, que pode não ser exatamente o mais valorizado.

Sempre que tento lembrar de uma obra de arte que me chamou a atenção, dois quadros me veem à mente. Um deles é o “El Jaleo”, de John Singer Sargent, em exposição permanente no Isabella Stewart Gardner Museum, em Boston.

Esse quadro de parede inteira parece ter vida! Depois de admirá-lo de todos os ângulos dá até a impressão de se ouvir as castanholas, a música e o farfalhar da saia da dançarina! Quando visitei esse Museu, a minha sensação foi de alívio! O Museu, que fica num palácio com galerias, jardins e fontes é maravilhoso e, além de pinturas, apresenta esculturas e mobiliário de chamar a atenção. Senti naquele local, pela primeira vez, que tinha encontrado o “meu” tipo de Arte.

O segundo quadro que me surpreendeu foi o “Passion Flowers and Hummingbirds”, de Martin Johnson Heade, que também faz parte de uma exposição permanente em Boston: a do Museum of Fine Arts.

Esse quadro é bem bonito, mas não teria nada de especial se não tivesse sido a imagem de capa do meu convite de formatura da faculdade. Foi engraçado que, só quando eu cheguei ao quadro caiu a ficha e eu lembrei porque estava há algum tempo com a impressão de que já tinha visto algo desse museu antes. O reconhecimento foi bem reconfortante!
O Museum of Fine Arts também é imperdível! É um passeio pela História com suas exposições de Arte da Ásia, Oceania, África, America, entre tantas outras coisas interessantíssimas.

2 comentários:

Cristiane disse... [Responder comentário]

Maravilhoso o quadro El Jaleo! Incrível o jogo de luz e sombra. Não conhecia este pintor. Procurando pelo nome dele no Google vi outros quadros lindos também.

Pois eu me sinto uma verdadeira 'analfabeta' diante das obras de arte ditas 'modernas', do seculo XX. De repente uma bola, no meio de uma sala. Uma bola apenas, de cimento, cor neutra. Eu olho aquilo e não sinto absolutamente nada! Coisas da arte...

bises

Vini disse... [Responder comentário]

Mas é verdade... Nunca achei nada d+, de "especial" em admirar algum quadro de alguém famoso que dizem ser "uma ótima obra de arte"... Na maioria das vezes, aqueles desenhos "abstratos" pra mim é tudo um monte de coisa torta que não quer dizer nada '-'
Mas acho que é como vc falou, a verdade é que simplesmente não vou com a cara desses quadros, prefiro algum outro tipo... Que algum dia, com certeza, ainda vou descobrir qual é XD

Related Posts with Thumbnails