segunda-feira, 1 de junho de 2009

Mineirês

Viver fora da terrinha não é fácil! Especialmente quando se trata dos regionalismos e dos trejeitos de cada estado... aí, se adaptar aos modismos locais ou fazer com que as pessoas aceitem o seu jeitão de falar é uma missão ingrata!
Quantas vezes já não riram de mim por algo que eu falei? Muitas vezes as pessoas repetem uma expressão e me olham, numa tentativa “fajuta” de imitar o meu mineirês!

Aqui em São Paulo, sempre que eu pergunto “Quantas horas?”, recebo respostas do tipo “Quantas horas pra que?” ou ainda “1,2,3,4...” (a pessoa literalmente Conta as Horas, como se isso fosse muito engraçado). Mas já aconteceu uma vez de eu perguntar “Quantas horas?” para alguém desconhecido no meio da Avenida Paulista e a pessoa me olhar como se eu fosse um ET por uns 5 segundos, até uma expressão de reconhecimento tomar conta do seu rosto e ela dizer “Ah, você quer saber que horas são?!?!?”.

Outra que riram esses dias foi quando eu falei: Acho que a comida ta perdida, pode jogar fora. Risos e mais risos sem sentido seguido de um: Mas se ela está perdida, como vou encontrá-la para jogá-la fora? HÁ HÁ HÁ.. muito engraçadinhos mesmo...

Falar na padaria que eu quero um pão de sal, gera certa dúvida. Preciso sempre falar: É o pão francês mesmo! - E quando eu disse que a minha amiga Carol estava esperando menino veio pergunta de todo lado: Como você sabe que é menino? Ela já fez ultrassom?

Logo que vim para cá, fui almoçar com umas amigas e falei: Arreda pro lado, pra eu sentar aqui. Silêncio absoluto. Alguém diz: Hum? Arredar? Isso dói?
E o tal do cumprimentar dizendo “Ei”, não dá certo em SP. Muita gente sorri e diz: Ah, você é de Minas! O certo é falar Oi.

Mas o que mais chama atenção é quando eu me espanto com algo e digo: Nu!
Sempre tem quem me olhe e diga: Nu o que? Nu de quem?
Eu: Uai. Nu! Expressão pra demonstrar espanto, ué.
Ele: Mas o que significa Nu?
Eu: Nu vem de Nó!
Ele: Nó? O que é nó?
Eu: Nó vem de Nossa. Que vem de Nossa Senhora! Que vem de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro! Ahh... quer saber... perdeu até o espanto!

Mas pouco a pouco as pessoas vão se acostumando. Eles já sabem que eu não falo o D final dos gerúndios: ANDANO, COMENO, ESTUDANO, PULANO. Sabem também que o UAI é começo de frase, exclamação, denota dúvida e surpresa e por aí vai. E por fim, apesar de eu ser, no momento, a única mineira que está no laboratório todos os dias, já peguei aqueles que trabalham próximos a mim dizendo: Nu, isso é ENGRAÇADIMAIS!
E dessa vez fui eu a rir!


2 comentários:

Vinícius disse... [Responder comentário]

Gente...
Mais engraçado impossível, PQP!

ROFL!

Matheus disse... [Responder comentário]

Credo, meldels, ri d+!

mto bom anna!!!!!!

xD

Related Posts with Thumbnails