sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Retrato

Essa pele oleosa sempre me cansou. Lavar o cabelo todo santo dia. Passar só cosmético em gel, porque o creme me enche de espinhas. Ter espinha na canela e no joelho já me aconteceu algumas vezes. E eu sempre reclamei do brilho excessivo do meu rosto. Mas hoje uma coisa me aconteceu. Mais uma. Minha pele começou a secar. Tô com a perna parecida com a de um retirante da seca, toda descascando. Meu tornozelo tem uma bacia hidrográfica inteira desenhada. E lá fui eu fazer o inimaginável, passar creme dos bravos, para ver se eu salvo um pouquinho da juventude e da boa oleosidade! Sim, porque oleosidade é coisa de gente jovem, adolescente! Eu não tô pronta pra seguir em frente, não!

Alguns meses atrás, fui até o consultório da minha dermatologista. Eu estava muito decidida a ter uma conversa séria com ela. Já há uns 3 anos eu estou contando rugas. Eu já tenho uma coleção delas. E naquele dia eu ia resolver esse problema. Afinal de contas a medicina já tinha avançado tanto! Cheguei e disse: "Tem mais uma ruga aqui ó! Viu?? óóóóóó!!! Tô parecendo um SharPei! Quero tirar elas todas daí!". A médica deu um suspiro (sim, porque eu já tive essa conversa com ela a cada nova ruga) e resolveu abrir o jogo: "Olha só.. sua pele, além de branca, marca com facilidade e é pouco resistente. Eu já te expliquei das outras vezes, essas ruguinhas pequenas nesse cantinho do olho nem botox resolve. Você já está passando protetor solar todos os dias, ácido glicólico à noite e vitamina C na região dos olhos... portanto você está fazendo ABSOLUTAMENTE TUDO que poderia com a medicina atual! Mas nem a medicina faz milagre!".

Ahhh, o choque da realidade! Fui para casa finalmente convencida de que essa era uma batalha perdida. Parei e olhei pro espelho. Quando foi que o rosto de 10 anos atrás começou a ir embora de fininho? Natureza dura essa! Aí me lembrei de um poema da Cecília Meireles, que eu achava tão triste quando era mais nova, mas que parece que foi escrito num desses momentos de indignação contra o "curso natural das coisas":

Retrato

Eu não tinha este rosto de hoje,
assim calmo, assim triste, assim magro,
nem estes olhos tão vazios,
nem o lábio amargo.

Eu não tinha estas mãos sem força,
tão paradas e frias e mortas;
eu não tinha este coração
que nem se mostra.

Eu não dei por esta mudança,
tão simples, tão certa, tão fácil:
- Em que espelho ficou perdida a minha face?

Cecília Meireles

4 comentários:

Matheus disse... [Responder comentário]

coitada da anna '-'... eh idade xegando! mais nas fotos nem aparecem!

Fabio disse... [Responder comentário]

que ruguinha momô
se ta eh querendo estica
pra vira japa neh xD
auheuahuea

Vini disse... [Responder comentário]

1- É idade!
2- Você quer botox? Pra ficar que nem a Deca?!?! Sorrindo o dia todo sem parar?!

Matheus disse... [Responder comentário]

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk sempre o sussa AHEIAEIUAIEUIEIUEIUEUIEUIEHEUUEIHUI a anna japa seria d+...ja basta a linda!

Related Posts with Thumbnails