quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

5 segundos

Eu tenho uma "amiga" que tem uma teoria meio louca sobre a comida que cai no chão antes da gente comer. Sabe quando a gente vai comer algo, tá quase colocando dentro da boca, e a danada da coisa escorrega e vai pro chão? Com todo mundo isso já aconteceu. Seja uma bala que caiu, o último pedacinho de um doce maravilhoso, uma picanha recém saída da chapa, e por aí vai. Enquanto a maioria das pessoas nem pensaria duas vezes e daria "tchau" pra guloseima perdida em um chão onde tanto pé e sola de sapato já passaram, a minha amiga tem o seu "olhar único" para a situação. Ela acredita na teoria dos 5 segundos. Isso mesmo. 5 segundos. Ela explica que a coisa que caiu antes de ser saboreada pode ser apanhado do chão e comida sem nenhum medo, caso você faça isso em, no máximo, 5 segundos. Vamos às explicações (e tentem acompanhar a "ciência" do raciocínio). Vamos dizer que um pão de queijo caiu no chão (minha amiga é mineira, então fica melhor regionalizar a comida). O pão de queijo caiu numa velocidade X e bateu no chão com uma certa força. Os micróbios que estavam embaixo morreram com a paulada da queda. Portanto, onde o pão de queijo encostou no chão está estéril (segundo ela!). Já os micróbios que estavam de bobeira nos arredores levaram um baita dum susto com o "tombo" do pão de queijo. E eles levam exatamente 5 segundos para se recuperar e resolver atacar a comida (pão de queijo mineiro e micróbios mineiros, é claro). Portanto, se a sua comida cair no chão, não se preocupe. Você tem 5 segundos para acertar a situação!

Minha outra amiga encontrou essa imagem na Internet. Obviamente rimos muito muito muito lembrando daquela nossa primeira "colega".



OBS: A parte do gato me mata de rir! kkkk

Leia Mais…

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Momento chef - A loucura do pequi

Sabe como cada pessoa tem uma coisa predileta de comer, algo que adore, um cheiro bom que faz com que seja impossível ignorá-lo? Tem gente que gosta de churrasco (eu mesma quase tenho um ataque de tanto que gosto), tem quem prefira pizza, feijoada, chocolate... mas todas essas coisas são melhores comendo do que sentindo o cheiro. Mas, nesse mundão sem fim, se tem uma coisa que é cheirosa e que consegue me tirar do sério é o tal do Pequi. Eu não gosto de pequi... eu amo! O cheiro é uma coisa tão boa, envolvente, potente, que quando eu o sinto não penso em nada.. só nele... só no arroz com pequi... só no frango com pequi... só no pequi puro... só no pequi com pão de queijo... só no pequi com pão francês. Sim, porque eu já comi pequi de todas essas maneiras. Não dá muito pra explicar o frenesi do pequi, mas se vocês já deram azeitona (ou pelo menos a água da azeitona) para um gato, vão entender do que eu falo. O gato fica doido.. sai correndo que nem louco.. rola no chão.. fica com aquele olhão esbugalhado, meio drogado, meio tantan! hahaha! É assim que eu me sinto! Nos meus delírios "pequinianos" eu já me imagino comendo um prato cheinho deles, pequis gigantes, amarelinhos, cheirosos, sem caroço no meio, 100% polpa. Eu me imagino fungando no pequi, entrando numa banheira de pequi, passando sabonete de pequi na hora do banho, shampoo de pequi, perfume de pequi, pasta de dente de pequi!! hahaha, eu sei o quanto isso soa deprimente e é sinal de comprometimento mental, é que eu me empolguei!

Pois bem, essa semana ganhei de presente 4 deles. Acho que foi o presente mais bonito que ganhei na vida! hahahaha! Passei o resto dos dias, até chegar o sábado, imaginando, pensando como iria prepará-los, pensando que eram somente 4 e eu não poderia comê-los no meu jeito ogra, que teria que comer devagar, só dois em um dia e dois no outro, para prolongar o momento. Me senti o próprio Remy, o ratinho chef do filme Ratatouille, preparando "A" refeição. Depois de muito pensar, resolvi prepará-los no arroz, porque assim o cheiro ficaria na comida também e a experiência seria mais intensa. E foi o que eu fiz. E acho que essa é a única parte que eu consigo lembrar racionalmente. Porque quando o cheirinho começou a sair da panela eu entrei em transe (HAHAHA), lembro de um ataque de gula, de ter repetido 3 vezes, da panela de arroz ter sido esvaziada em tempo recorde, de ter tido dor de barriga de tanto comer. Mas valeu a pena. Cada momento!

Hoje, a pessoa que me presenteou, me liga perguntando como preparar pequis, porque ela tinha comprado mais alguns e estava pensando em comê-los. Tive que me conter para não sair correndo para a casa dela, sequestrá-los, enfiá-los na boca, mas imaginei que isso não seria coisa de gente normal.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------
OBS: Se tem alguém que não sabe o que é um pequi, é um frutinho que é muito comum no  cerrado brasileiro e  bastante usado na culinária do centro-oeste, nordeste e também norte de Minas. É dono de um cheiro forte característico que divide opiniões, ou se ama ou se odeia.

Leia Mais…

domingo, 24 de janeiro de 2010

Em 2011, em Praga!

E finalmente apareceu! O site que informa sobre o Congresso que acontecerá ano que vem, e que eu, definitivamente, tenho que me virar para não perder, já está no ar. Na verdade ele ainda é apenas informativo de que o Encontro acontecerá em Junho de 2011, em Praga, na República Tcheca.

Eu, como sou muito eufórica, já estava me "programando" para viajar em Outubro de 2011, mantendo o mês de tradição desse congresso. Já pensava em como arrumar os fundos para a viagem, em trabalhar bastante até essa época para apresentar um trabalho bom, em todos os contatos profissionais que eu iria fazer. Maaaas.. espera aí... o congresso simplesmente vai ser em JUNHO! 4 meses antes do que eu imaginava! Praticamente alta temporada, no meio da primavera (que deve ser uma coisa arrebatadora em Praga)!

Agora eu, eufórica que estou, tantos meses antes já estou fazendo as contas de como economizar, como trabalhar mais, como ter um trabalho ótimo em um tempo recorde, em como não ficar de fora desse super Congresso! Haja coração e disposição!

Leia Mais…

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Utopia



Eu quero viver em uma cidade onde eu possa torcer para chover à noite, porque não há nada mais gostoso do que dormir fresquinha numa noite de verão, mas na cidade onde eu vivo, quando chove, tudo inunda. E enquanto eu durmo o sono dos anjos um monte de gente cai em tristeza, perde casa e família, perde sonhos erguidos a duras penas. E toda manhã, após uma noite de chuva, na qual eu invariavelmente dormi bem, eu ligo a TV e vejo imagens de tragédias anunciadas, de gente que, diferente de mim, não sente prazer algum com as chuvas noturnas. E eu me sinto mal por ter dormido tão bem numa noite em que tantos chegaram ao fundo do poço. E pior ainda, por inconscientemente desejar o frescor da chuva na minha janela.

Eu quero viver em uma cidade onde, ao acordar após uma noite de chuva, eu saia de casa e só veja o chão molhado e as plantas mais verdes, eu ligue a TV e só encontre notícias de dias comuns, inalteradas pela meteorologia. Mas a cidade onde vivo é uma selva de pedras, com seu ritmo próprio, com suas calamidades previstas, praticamente indomada, onde sempre há de haver gente que perdeu casa, gente que perdeu esperança, gente que perdeu a vida, após uma simples noite de chuva.

-------------------------------------------------------------------------------------------

Hoje eu acordei e a notícia estava lá: "Estado de emergência. Não saiam de casa. Não tentem pegar as marginais. Chuva mata 3 pessoas. Avenidas e ruas inundadas". Uma história que se repete cada vez mais frequentemente em São Paulo.

Leia Mais…

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Viajante


 Retirado de http://www.imotion.com.br/imagens/

Tem dias que eu acordo assim, um tanto aérea. Saudosista, talvez... e um tanto quanto sonhadora. Acordo numa nostalgia estranha e uma vontade de entrar num livro e ficar lá, parte da história pra sempre. Ou então sair, ir embora conhecer o mundo. Acho que é isso... tem dias que eu acordo e me sinto "cidadã do Mundo"! E nesses dias me dá uma vontade de ver o que há lá fora. Fora da minha casa, fora do meu laboratório, fora de São Paulo e Minas Gerais, fora do Brasil, fora do continente, fora do planeta! Tenho vontade de ver, nem que seja bem rapidinho, só uma passada de olho, todos os lugares que eu já ouvi falar e me pareceram bons. Todos os locais fictícios onde ocorreram as histórias que eu já li. Tudo aquilo que existe de impressionante e de simples também. Aí me dá um desespero típico de quem é "cidadão do Mundo", como se eu não pudesse perder tempo porque a vida é curta, só se é jovem e ativo por pouco tempo, como se eu estivesse gastando uma parte importante do meu tempo em um lugar só, fazendo uma coisa só, e esse mundão inteirinho aí, sendo desperdiçado. E então eu começo a fazer planos. Aos montes... inúmeros. Hoje eu já estava programando a minha viagem pra Europa do ano que vem. Porque ano que vem tem outro congresso, em Praga (que é provavelmente um dos lugares mais legais/lindos do mundo) e de lá eu pretendo viajar um pouco. Fiquei um longo tempo decidindo se valeria a pena ir para Alemanha e Holanda ou talvez Espanha. Isso porque nem sei se realmente vou viajar! Mas em dias de euforia como esses, nada disso importa, o que vale é se programar, sonhar e viajar nas possibilidades.
Terminei por conciliar tudo e resolvi que a viagem começa em Praga, passa pela Oktoberfest em Munique, por Berlim, por Amsterdã, pela Espanha, pela Inglaterra, pela Turquia, pela Grécia, aproveito e dou um "pulinho" na Oceania, visito meu amigo do Nepal, e quem sabe ainda não dá pra fazer uma parada rápida em New York e São Francisco. hahaha! Claro que isso tudo só na viagem da minha cabeça mesmo!

Leia Mais…

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Fringe



Um dos meus viciozinhos nessa era moderna é assistir séries de televisão. Já postei AQUI sobre isso, e assumo que gosto e bato ponto em dias de novos episódios. A minha vida em SP não me permite "luxos" do tipo TV a cabo, mas como quem tem internet tem o mundo à disposição, eu baixo os episódios e acompanho em "tempo real". Resolvi "adotar" mais uma série e a escolha foi dura e demorada, mas finalmente encontrei: Fringe. Gostei do jeitão dela. Me lembra muito o estilo de Arquivo X,  cheia de mistérios bizarros, às vezes medonhos, mas sem aquele charme retrô! E como eu A-DO-RA-VA Arquivo X (na época da faculdade eu e meus colegas pássavamos horas discutindo o futuro da série: "A verdade está lá fora"!), com Fringe não poderia ser diferente. E a musiquinha então? Colou na cabeça de um jeito, que no laboratório, volta e meia, lá estou eu cantarolando: TUM TUM TUUUUUMMMM... TUM TUUUUUUMMMM"!



Fica a dica para quem quer experimentar algo novo!

Leia Mais…

domingo, 17 de janeiro de 2010

Quase Carnaval

Eu adoro Carnaval! Sempre adorei. Mas gosto pela festa, não para poder descansar no feriado. No Carnaval o que eu mais quero é me cansar de tanta noite mal dormida, de tanta bebida duvidosa com leite condensado que eu tomo, de tanta música ruim e alta, que de tanto tocar gruda na cabeça da gente, de tanta marchinha boa, de me perder na multidão e de chegar de manhã, levando o pão francês quentinho pro café da manhã! Eu adoooooro Carnaval de rua! E por muitos e muitos anos eu passei bons Carnavais em Minas Gerais. Carnaval em BH não presta, mas no interior é sempre bom! Só que esse ano eu já estou entrando em pânico: o Carnaval é daqui a menos de um mês e eu não tenho idéia de onde ir! A maior parte das pessoas que eu conheço, hoje em dia, ou não viaja ou então foge de festa. Eu não tenho pra onde ir nem turma pra ir junto. Já cheguei ao cúmulo de tentar me convidar pra ir pros lugares que as pessoas do laboratório estão indo! Estou entrando em estado de alerta, sinal de emergência, pânico! O que acontece com os foliões de antigamente? Provavelmente são velhos demais para a festa de hoje... deve ser isso. Eu também deveria me contentar em ter alguns dias pra dormir o dia todo e ver filmes e ler livros... (suspiro)

Mas só pra constar, pras pessoas super gente-boa que possam passar por aqui, ainda tá em tempo de me convidar hein! hehe!

Leia Mais…

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Contos, artigos e muitos afazeres!

É sempre assim! De vez em quando bate uma empolgação e a gente promete mil e uma coisas e acaba não conseguindo cumprir tudo. Nessa volta das férias eu resolvi ser uma pessoa mais ativa do que tenho sido no trabalho. Logo na primeira semana de laboratório sugeri a alguns amigos começarmos um clube do livro. Na verdade um "Book Club", já que era pra discutirmos livros em inglês. A idéia é falar inglês uma vez por semana e para isso a gente escolhe um conto que todo mundo lê. Empolguei e todo mundo empolgou comigo. Escolhemos logo o primeiro conto: The Fall of The House of Usher, de Edgar Allan Poe. Aproveitando o embalo, sugeri pra Letícia da gente começar a ler artigos e discutí-los uma vez por semana também. Isso porque esse semestre vamos fazer a tão temida "qualificação de doutorado", que, segundo o que todo mundo diz, é mais difícil do que defender o dito cujo. Sendo assim as nossas discussões de artigos ajudariam na preparação pro "matadouro"!

É óbvio que eu fiz todos esses planos porque eu devia estar doida da cabeça esquecida do tanto de trabalho que eu tenho por semana. Já no dia seguinte eu estava exausta de tanto experimento programado, relatório para fazer, gráficos para arrumar e por aí vai. E não é que, com tudo isso, já há dois dias eu durmo super mal para tentar me manter à frente das coisas?

Jesus toma conta! É um tal de ler, ler e ler o conto e não entender MILHARES de palavras. Porque o conto usa aquelas palavrinhas esquecidas, formais, diferentoooonas! Mas eu, xiita que sou, tenho que saber o significado de cada uma delas. Aí um texto de poucas páginas vira uma tortura chinesa. E eu lembro que tenho que ler o artigo pras discussões... outra noite mal dormida. E eu percebo que tenho que repetir experimentos.. stress! Mas tudo bem. Amanhã o dia já está lotado de afazeres e eu preciso acreditar que dá pra fazer tudo numa boa!

Só quero ver quando as aulas de espanhol voltarem, assim como as aulas do doutorado e os seminários. Queria tanto não ter que dormir nem comer pra ter um tempinho a mais e fazer tudo!!

Leia Mais…

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Espera

Volta e meia eu me repito aqui, com autores que eu adoro, cantores que me deixam arrepiada com suas músicas, locais que tem um lugar especial na minha vida. Hoje eu volto a falar dela, Julieta Venegas. Sobre ela foi o meu primeiro post no blog. E volta e meia eu descubro uma música nova, uma interpretação diferente, que me faz gostar mais ainda dessa moça. Hoje me emprestaram o CD acústico MTV da Julieta. É simplesmente maravilhoso. Além da linda música Ilusión, cantada com a Marisa Monte, existem várias outras que eu não conhecia. Eu nunca fui muito de escutar muitas canções de um mesmo cantor. No geral eu sou surpreendida por uma música quando estou numa festa, quando alguém liga o rádio, quando estou vendo um filme, etc. Aí eu escuto a música até cansar. Hoje a minha surpresa ao ver o acústico foi a música "Lento". Por mim ela deveria se chamar "Espera". Linda, linda, linda. E a letra já diz tudo!





 LENTO
Composição: Julieta Venegas / Coti Sorokin

Si quieres un poco de mí
Me deberías esperar
Y caminar a paso lento
Muy lento
Y poco a poco olvidar
El tiempo y su velocidad
Frenar el ritmo, ir muy lento, más lento.
Sé delicado y espera
Dame tiempo para darte
Todo lo que tengo.
Si quieres un poco de mí
Dame paciencia y verás
Será mejor que andar corriendo
Levantar vuelo
Y poco a poco olvidar
El tiempo y su velocidad
Frenar el ritmo, ir muy lento
Cada vez más lento.
Sé delicado y espera
Dame tiempo para darte
Todo lo que tengo.
Si me hablas de amor
Si suavizas mi vida
No estaré más tiempo
Sin saber que siento.
Sé delicado y espera
Dame tiempo para darte
Todo lo que tengo.

Leia Mais…

domingo, 10 de janeiro de 2010

Conheça São Paulo! Feira da Liberdade


 Feirinha da Liberdade e as típicas luminárias do bairro


O Bairro da Liberdade é o maior reduto da comunidade japonesa em São Paulo. Parece mesmo que estamos em outro país, pois as ruas, as lojas, os restaurantes, quase tudo tem um toque oriental. O que mais atrai gente por ali é a famosa Feirinha da Liberdade, visitadíssima nos finais de semana. Dá pra chegar rapidamente pelo metrô, descendo na estação Liberdade. Lá tem um pouco de tudo. Muitas barraquinhas servem comida japonesa e chinesa e outras tantas barracas oferecem coisinhas fofas de artesanato, roupas, brinquedos, etc. Ao redor, vários restaurantes, lojas de cosméticos, papelarias, e muitos mercados que vendem comida japonesa a um preço muito mais agradável do que encontraríamos em outros supermercados. Sempre que passo por ali levo pra casa cogumelos, sushi, doces "diferentões" orientais, suco de soja...

Os shoppings ao redor vendem tudo que é importado e o bom mesmo é ir com tempo para "garimpar" as coisas boas nos lugares. Porque lá fica sempre lotado. É tanta gente que a paciência tem que estar sobrando. Mas, basicamente, o que você quiser, lá deve ter. Quer revistas orientais, kimono, panela elétrica de fazer arroz, karaokê, bala de lichia, picolé de melão, animes e mangás, fantasias de animes, massagem ao ar livre, etc etc e tal.. lá tem! Hoje mesmo eu saí para comprar um cinto, uns hot rolls, shimeji, molho shoyu, umas balinhas diferentes, um suco de uva verde (o da foto) que eu estava curiosíssima pra provar.... e achei tudinho! Por falar nesse suco, foi sugestão da Tati, do blog Panelaterapia, e realmente é sensacional. O suco é bem docinho e vem com a polpa das uvas verdes! Muito bom!!!

E também dou uma dica pra quem for almoçar por ali. Tem um restaurante um tanto quanto escondido chamado Korea House. É um típico restaurante coreano e a comida é uma graça! Vale a pena pedir o churrasco, que é um pouco diferente, é feito na própria mesa e vem acompanhado de vááários potinhos de... hmm.. "especiarias"! Mas pode ir sem medo, que o restaurante já foi elogiado até pela Folha Online.

Leia Mais…

sábado, 9 de janeiro de 2010

A porta das possibilidades descartadas

Um dia tive um sonho muito interessante. Sonhei que estava em frente a uma porta simples, sem nada de especial. Mas eu sabia que aquela era a porta que continha as possibilidades de futuro que eu descartei, simplesmente por ter feito novas escolhas. E apesar de ter me dado conta de que aquilo era só um sonho, foi com admiração que eu passei por ela e vi ali os meus planos de criança e adolescente. Claro que  quase todos eram megalomaníacos!

Em uma prateleira estava uma foto minha, vestida de astronauta. Lembro bem dessa fase! Quando pequena eu queria ser astronauta, para, assim como a Emília de Monteiro Lobato, visitar outros planetas. Mais tarde esse desejo se intensificou, quando conheci Carl Sagan, Arthur Clarke e os maravilhosos livros: 2001 Uma Odisséia no Espaço, Contato e Encontro com Rama.

Em seguida, uma foto em que eu ganhava o prêmio Nobel de Literatura. Sim, eu sempre fui de extremos! Não bastaria escrever, tinha que ganhar o maior prêmio que existe também! Em outro retrato lá estava eu, dona de uma editora. Por muito e muito tempo eu queria trabalhar com a publicação de livros. Na verdade eu queria ser a pessoa que lê os livros e escolhe os que serão publicados. Ler vários livros e ainda receber para isso?? Seria sensacional!

A fotografia seguinte era de um futuro que eu sonhei dos 12 aos 16 anos. Eu com o uniforme do Brasil e a medalha de ouro numa olimpíada. É, eu joguei vôlei por alguns anos, mas sempre fui baixa pro esporte, apesar dos meus 1,75m. E como sou fracote, sempre arrumava uma contusão. Não daria certo mesmo.

Na próxima foto, eu de novo, em cima de um barquinho pequenininho do Greenpeace, em frente a um navio gigante. É verdade que eu quis ser oceanógrafa, logo na época do vestibular. Mas a vontade passou quando eu pesei os prós e contras. Mesmo porque a oceanografia estuda um tanto de coisas a mais, e eu não viveria de golfinhos e baleias fofíssimos, mas também de cheiro de peixe, água suja de petróleo, sol, calor, etc...

Já num futuro mais próximo do meu, a imagem seguinte era um mosaico de fotos minhas de jaleco e roupas de laboratório. Bom, parte desse futuro ainda vale, porque eu virei mesmo uma cientista. Mas nas fotos eu usava roupas de proteção que só quem trabalha com as doenças mais perigosas do mundo usam. Dos meus 18 anos até os 21 eu sonhava em trabalhar num desses laboratórios em que se usa roupa completa de astronauta (olha o astronauta surgindo de novo em outra fase), onde qualquer contato com o ar significa risco de vida. Essa era eu na minha fase radical. Eu até comecei a fazer bacharelado em Microbiologia, mas outra área de pesquisa ganhou toda a minha atenção.

E, por fim, lá estava eu, novamente ganhadora de um Nobel, dessa vez de Medicina. Dizem que quem ganha o Nobel são só as pessoas que fazem as descobertas de ciência básica de uma área que influencia várias outras. Eu trabalho com algo muito específico em Diabetes, então não sou do tipo escolhida para grandes homenagens.

A minha "porta das possibilidades descartadas" continua lá, cada dia se enchendo mais e mais de fotos do que poderia ter sido. E eu fico imaginando, onde é que as minhas escolhas vão me levar?


Leia Mais…

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Férias em poucas linhas

Como eu não postei muito nas férias em BH, muito menos falei das minhas atividades lá, faço agora um super resumão. Encontrei muitas pessoas da família em várias ocasiões. Visitei quem teve bebê. Saí com os amigos da faculdade, como sempre. Comemoramos com quem casou. Passei 3 dias de chuva e tédio em casa, com pouco a fazer, porque a TV queimou. Vi Avatar e adorei! Fiz compras e compras. Li livros reais e virtuais, ouvi audiobooks, passeei em livrarias, fiz novos amigos. E comi. Mas comi muito! Por fim, descobri o novo esconderijo secreto do meu gato: a cama da minha mãe!


Leia Mais…

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Bonito na foto!

Para aqueles que adoram modificar fotos, pra quem quer deixar um retrato comum meio diferentão ou mesmo para aqueles que queriam ter saído melhor no clique, segue o link de um site bem legal: http://www.befunky.com/

Lá dá pra fazer muitas coisas diferentes, como essas fotos logo abaixo. O melhor é que não precisa nem ter cadastro! É só modificar a fotografia e salvar direto no computador!





Leia Mais…

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Um livro para 2010

Logo que eu aprendi a ler, minha mãe me deu um caderninho de anotações. Ali eu anotava o nome de todos os livros que eu lia. Por um tempo, talvez uns dois anos, eu anotei, obedientemente, os títulos dos livros. Um dia eu cansei. Anos depois eu me arrependi. Ia ser tão legal ter um caderno cheio de livros já lidos! Passei a anotar os livros que lia durante o ano na última página das minhas agendas. Já cheguei a ler mais de 30 num ano. Hoje mantenho uma média de 18, 19 livros.

Olhando as listas de agendas antigas, lembrei de um livro que vale a pena citar. Simplesmente porque é o livro do ano! 2010, Uma Odisséia no Espaço II, de Arthur Clarke. Tá, eu sei que um título que já vem com o II assim, descaradamente exposto, é obviamente uma continuação e não deve ser tão bom. Mas esse é. É muito, muito interessante! Claro, é preciso gostar de ficção científica e um pouquinho pelo menos de astronomia. Mas se 2001, Uma Odisséia no Espaço, foi um dos livros mais interessantes já escritos, a sua continuação não perde em nada! Existe um filme também (chamado 2010, o Ano em que Faremos Contato), que logicamente não chegou aos pés do livro, e muito menos do filme inicial (dirigido pelo Stanley Kubrick).

Fica a dica para quem, assim como eu, adora sci-fi!

Leia Mais…

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

2010!

2010. Pra quem achou que o mundo não passava do ano 2000. Pra quem pensou que 2010 era um futuro muito muito distante. Pra quem imaginava 2010 bem mais diferente e futurístico... bem... aqui estamos! E a virada de ano foi ótima. Dessa vez ao lado de pessoas muito queridas!





Não tenho a menor dúvida que 2010 será um ano intenso. Meu terceiro ano de doutorado. Ano de resultados e discussões. Ano de prestar contas do que foi feito e olhar para uma conclusão desse projeto de 4 anos. Mas, mais importante ainda, ano de se preparar para 2011, para o grand finale, para o fim de uma etapa e começo de outra.

E não esqueci das promessas de ano novo! Como qualquer mineiro diria, tô "garrada" nelas. Por sinal, o regime começa logo logo! :)

Leia Mais…
Related Posts with Thumbnails