quinta-feira, 10 de junho de 2010

Carta para minha sobrinha



Querida Lara (ou será Lívia?),
Que bom que você está de volta.
Você nem nasceu ainda, mas eu vou lhe contar algumas coisas deste mundo. Só para refrescar a sua memória ancestral. Porque você já sabe tudo, mas vai esquecer.
Vou explicar. Aqui tem uma coisa chamada banco. Na entrada dele existe uma porta giratória com uma caixinha, e a gente precisa deixar algumas coisas nela antes de entrar. Depois que entramos, pegamos de volta.
Nascer é mais ou menos como entrar nesse lugar. A gente deixa todo o nosso conhecimento numa caixinha lá na porta do planeta, que também é giratório. A diferença é que levamos algum tempo, às vezes uma vida inteira, para pegar tudo de volta. Depois explico o que é banco.
É preciso dizer: aqui é bem legal, mas um pouco esquisito. Está tudo dividido em países. Mas se você observar o planeta de cima – da estrela de onde você vem, por exemplo – verá que é uma coisa só. Parece óbvio, mas muita gente ainda não percebeu isso.
Além dos quatro elementos – água, terra, fogo e ar – nosso mundo tem três coisas básicas: gente, bicho e planta.
As plantas estavam aqui antes de nós. Não fossem elas, a gente não teria flor para enfeitar a casa e o cabelo. Nem sombra para tirar uma soneca. Nem alimento. Assim que você puder, peça para sua mãe preparar morangos picadinhos com mel. É imperdível. O mel vem da abelha, que é um tipo de bicho.
Os bichos também já moravam no planeta. Não existe um que não seja bonito. Urso, gato, cavalo, gaivota, leão-marinho, joaninha. Se bem que a barata não é nada bonita. Mas não há um bicho que não seja importante. Quer dizer, tem a barata, que eu não sei para quê serve.
Por fim, viemos nós. É importante saber uma coisa: quem chega por último precisa respeitar os que chegaram antes. Muitas pessoas vão tentar lhe convencer do contrário. Não acredite.
Para contar tudo isso – gente, bicho, planta – existe a matemática. Matemática é uma coisa meio chata. Mas ajuda um bocado. É com ela que você vai aprender a contar quantos dias faltam para o Natal, quantos bombons de chocolate você já comeu e quantas pessoas estão ao seu lado para o que der e vier. Essa conta é a mais importante. Preste atenção quando a professora lhe ensinar sobre o infinito. Vai lhe ajudar a entender melhor o amor dos seus pais por você.
Tem mais coisas bacanas aqui. A música que sua mãe canta para você, desde o dia que soube que você viria. A cara de bobo do seu pai quando olha para você. O cinema, feito com as histórias que saem das cabeças das pessoas. Também tem a água. Que é parecida com a que você já conhece. Aqui fora tem mais. Muito mais. O oceano é feito de água. E quando a gente olha para ele, parece que ele não acaba mais. Mas sem fim, só mesmo o amor.
Faltou explicar o que é banco. Mas acho que você não entenderia. Aliás, ninguém entende direito. Esqueça.
Por fim, existe a família. Família é tudo de bom. Mas, às vezes, pode torrar um pouquinho a nossa paciência. Talvez torre a sua. Mas acredite: isso não terá a menor importância. Porque família é de onde a gente veio e para onde a gente sempre volta.
Vai por mim.
Um beijinho,
 Tia Lulu
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
OBS: Essa carta foi escrita pela Silmara Franco, que a disponibilizou para todos que quisessem copiá-la. Os créditos são 100% dela. Achei que serviu bem ao meu propósito, já que eu queria postar algo para a minha sobrinha, essa pessoinha que nem nasceu ainda e já ganhou o coração de todo mundo lá em casa!

4 comentários:

Anônimo disse... [Responder comentário]

Oi Ana, Que lindinho, vou guardar pra mostrar pra Lara (será é esse mesmo o nome da sua primeira sobrinha). Muita fofa essa carta.
Adorei seu blog, como vc arruma tempo pra escrever tanta coisa bacana?!Bjs Rauci

Ana Campanha disse... [Responder comentário]

Oi Rauci! Linda essa carta, não é? Mas não foi criação minha! A minha ainda está por vir! Beijo!

Silmara Franco disse... [Responder comentário]

Oi, Ana!
Que delícia ver essa carta aqui.
Obrigada pela gentileza.
E afinal, sua sobrinha ficou sendo Lara ou Lívia? (rs)
Beijos,
Silmara Franco

Ana Campanha disse... [Responder comentário]

Ficou sendo Lara!!!! Morro de saudades daquele toquinho de gente!

Related Posts with Thumbnails