sábado, 31 de julho de 2010

A ironia do mundo

É uma pena que eu nasci trouxa, porque se fosse esperta não tinha estudado tanto. Não teria feito mais do que o terceiro grau, e entrar na faculdade, nem pensar, afinal de contas, os anos da faculdade são os melhores anos da vida, pra que gastar em cima de livro e estágio, não é mesmo? Se eu fosse mais rápida no gatilho teria feito um implante de bunda logo logo, um daqueles bundões bem grandes, que balançam que é uma beleza, colocaria uns peitões que só faltam deixar a pessoa corcunda, e teria feito o possível para passar no concurso da Loira do Tchananam, ou de algum grupo parecido. Seriam anos duríssimos de rebolação e tintura pesada no cabelo, mas assim que tivesse as pernas saradas e o gingado perfeito, entraria de cabeça na carreira artística, isto é, de poupança, me apelidaria de Mulher-Jaca ou Garota-Jamanta, e estaria hoje rica, viajada, bem casada pela quinta vez, um pouco sem conteúdo, mas quem precisa de cérebro quando se tem coisa mais importante, não é? Se eu fosse um pouco mais ligada nas tendências, tentaria também ter um programa de TV, um desses que a gente leva uma pessoa e seus desafetos para ver o pau quebrar em rede nacional, onde o que menos se preza é a decência do que se fala, mas sim a audiência. Claro, porque o que dá ibope é pití, barraco, desgraças em geral. Não acredita em mim? Vai olhar a audiência de uma rede de mais conteúdo como a Cultura e compara ela com qualquer outra que mostra aquilo que o telespectador quer. E na TV eu teria a chance de mostrar que falta de estudo não quer dizer nada, afinal de contas, quem precisa de conhecimento para saber apresentar uma coleção de lingerie todo santo dia, ou que I é de Escola. 
Agora, se eu tivesse nascido homem, teria me esforçado ao máximo para ser jogador de futebol. E que amor à camisa que nada, o que importa é jogar onde se paga melhor. Que seja no Japão, no Líbano ou no Qatar, pagando bem eu não pensaria duas vezes. E tem que ser futebol, porque é dos poucos esportes que pagam melhorzinho. Eu não seria trouxa de repetir o erro de perder meu tempo com vôlei.. naããooo... vôlei é esporte de pobre, é no futebol que a grana rola solta. E tudo bem se eu chegar num jogo decisivo, digamos, de uma Copa do Mundo, e sair pisando no adversário, ou resolver que não estou psicologicamente preparado para jogar... qual o problema? Afinal de contas é só mais um jogo, e pela merreca que eu ganharia, eu jogaria o que pudesse.
Mas, não... a trouxa aqui resolveu estudar, estudar, estudar, fazer um doutorado que quase me deixa vendendo o almoço para pagar a janta. Bem feito pra mim.. estudar.. onde já se viu? ... é óbvio que gente à tôa e que fica vagabundando, brincando de ser pesquisadora à custa do governo, não merece nada além de uma bolsa de estudos que não dá direito a férias, benefícios, nada. Afinal de contas, o estado já sustenta esse bando de estudante de pós-graduação que faz corpo mole e não quer trabalhar de verdade. E que, vejam só, aindam têm a audácia de reclamar do custo-benefício! E depois que terminar a pós, também não vai ter emprego que ganhe muito bem não! Quem mandou ser besta e estudar? Implante de bunda e peito tá aí, baratinho, para quem quiser ser alguém na vida!

 Mafalda, de Quino

Leia Mais…

terça-feira, 27 de julho de 2010

Despertando

Eu tô estudando que nem uma louca, condenada, presa no meu quarto quase o dia inteiro, por causa dessa qualificação de doutorado... ai ai... mas nem por isso deixei de rir ao ver o vídeo que uma amiga me enviou. Ela disse que é uma animação que reflete exatamente como são as manhãs dela. Que coincidência, porque é exatamente igual a certos dias meus, quando chega a hora de sair pro trabalho! É o MAIOR sono DO MUNDO!

Leia Mais…

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Uma música, um mundo inteiro

Porque a Terra é uma coisa só. Porque a gente que insiste em dividir tudo em países, em demarcar territórios, em chamar alguma coisa de "meu", quando na verdade somos todos cidadãos do mundo. 

Essas são as premissas do movimento multimidia Playing for a Change, criado para inspirar, conectar e levar paz através da música, independente das diferenças políticas, geográficas, econômicas, espirituais e ideológicas. A linda e conhecidíssima música Stand by Me foi gravada por várias pessoas do mundo inteiro e deu origem a esse vídeo logo abaixo. Lindo e simples, como um mundo sem froteiras deveria ser.

Leia Mais…

domingo, 18 de julho de 2010

Sobre o Everest de cada um


Hoje eu acordei com o programa de esportes na TV mostrando a história de um menino de 14 anos, que com 13 escalou o Monte Everest, chegou ao topo e voltou para contar a história. Fiquei olhando para TV com a sensação de que não tinha escutado direito, ou estava sonhando, ou alucinando. Como assim um menino de 13 anos foi ao topo do Everest? Isso sequer é permitido? Não existe uma lei que proíba crianças de subir uma das montanhas mais perigosas do mundo? Uma lei que seja anti-idéia de girico? A história desse menino começou aos nove anos de idade, quando ele, sozinho, passou a se interessar por alpinismo. Procurou se informar pela internet e, no seu aniversário, fez o pedido ao pai para que ele pudesse ser alpinista e um dia escalar o Everest. Mas não foi só um pedido. Ele levou tudo que tinha pesquisado. O toquinho de gente estava munido de informações e tudo que fosse preciso para tentar convencer o pai de que queria ser levado a sério. E o pai deixou! Como assim o pai deixou?? Pois é. Deixou. Tentei lembrar das coisas que me interessavam quando eu tinha 9 anos. Nem sei se lembro da época exatamente. Foi em 1989 e eu morava em BH e provavelmente gostava de andar de bicicleta e brincar de Barbie. Era um rato de biblioteca e a coisa mais emocionante que eu devo ter feito nessa época foi ler algum livro de aventura. Com certeza eu não tinha a menor maturidade para fazer algo assim, tão selvagem e perigoso. E mesmo se eu achasse que tivesse, meus pais COM CERTEZA não me deixariam ir lá e provar a minha coragem. Nesse caso, o menino teve sorte. O que aconteceria se ele tivesse morrido ou se ferido seriamente lá no alto da montanha? O pai desse garoto algum dia se perdoaria por ter permitido isso? E pior, eles não puderam fazer a subida a partir do Nepal, pois o país proíbe que menores de 16 anos tentem a escalada. Era mais uma coisa dizendo NÃO VÃO EM FRENTE, mas eles foram. Saíram da China, que não impõe limite de idade, e não é que conseguiram?!?! Fiquei um tanto quanto chocada com essa história e fui atrás para saber mais. Pai e filho se prepararam por 4 anos para essa tentativa, escalando várias montanhas em diferentes continentes. Seguiam um regime rígido de treinamentos, inclusive participando de várias competições tipo triathlon em tudo quanto é canto do mundo. Fiquei pensando em qual é o momento que a gente cresce o suficiente para decidir que já está pronto para desafios que exigem decisões maduras e adultas. Não tenho a menor idéia. Até hoje certas decisões me deixam com frio na barriga, eu não me sinto preparada para tanta coisa! E vem esse menino, essa coisa nova e muito possivelmente "despreparado" para um risco desse tamanho e resolve que vai dar esse passo! E foi aí que eu vi a entrevista com o próprio garoto. Ele me pareceu uma daquelas pessoas felizes, realizadas por estar fazendo algo que gosta, com um ar de tranquilidade que só as pessoas confiantes têm. E eu passei a me perguntar: quantas vezes deixamos de fazer algo que REALMENTE QUEREMOS, simplesmente por acreditarmos que isso não é o que deveríamos estar fazendo, seja por medo de não dar certo, por pressão para investirmos em algo mais palpável, etc. E, sinceramente, na maior parte das vezes, mesmo quando resolvemos encarar uma "loucura" sempre encontramos quem nos desestimule. Não que eu ache certo uma criança escalar o Monte Everest. Provavelmente eu seria uma mãe chata e controladora porque eu seria ABSOLUTAMENTE contra essa idéia. Mas, em algum ponto da nossa vida, essas pressões externas se transformam apenas em coadjuvantes e a decisão é realmente nossa. Será que acostumamos desde cedo a escolher o caminho "certo", "seguro" e não temos coragem de encarar um desejo que está escondido lá no fundinho? Seja algo menos perigoso do que o garoto fez, talvez tirar um ano das nossas vidas para viajar ou ir ajudar pessoas desabrigadas no nordeste, sul, norte do Brasil, ou na África. Quem sabe seguir o exemplo daquelas poucas pessoas que largam TUDO e vão montar uma pousadinha numa praia distante de um litoral mais distante ainda. São tantos exemplos de gente que não segue as "regras", e por tantos motivos! E para finalizar, o garoto de 14 anos, o mais novo alpinista a chegar ao cume da "Montanha da Morte" disse, ao ser perguntado sobre sua mensagem para as pessoas que estavam escutando: "Eu diria para elas acharem o Everest delas". Não é lindo? Quatorze anos, mas com uma cabeça tão mais resolvida que a de tanta gente. Acho que seguir um sonho assim, tão apaixonadamente, traz essa paz de espírito!

----------------------------------------------------------------------------------------

Leia Mais…

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Momento cozinha para iniciantes: Panqueca americana de banana!

Nem tudo está perdido! Apesar de ser uma negação na cozinha, volta e meia eu encontro uma receita tão fácil... mas tão fácil... e tão boa que até alguém como eu poderia passar como uma cozinheira "versátil"! Uns dias atrás estava eu passeando pelo blog da Tati, o Panelaterapia, quando encontrei uma receita de panqueca de banana. Eu simplesmente amo receitas com banana. Para mim, não há fruta mais "versátil" (gostei da palavra)! E não eram meras panquecas... ahh não. Eram panquecas americanas. Elas levam fermento e ficam fofinhas e aeradas. Quando estive nos Estados Unidos, comia muitas parecidas com essas (não eram de banana) com um pouco de "Maple Syrup" por cima. Para quem nunca ouviu falar disso, a tradução correta seria "Xarope de Bordo" ou "Xarope de Ácer", que é algo que lembraria um melzinho. É bem doce e muito usado nos Estados Unidos e Canadá para ser comido junto com panquecas e muffins. Mas voltando à panqueca de banana que eu achei no Panelaterapia. A receita era completamente possível de ser feita... e olha que para mim isso é raro de encontrar. Tomei coragem, comprei o que precisava e fui encarar a cozinha. Fiz tudo no liquidificador, nem sei se era para fazer assim, mas deu certo! Abaixo segue a receita do jeitinho que está lá no blog da Tati:

"Amasse com o garfo 2 bananas nanicas, some 1 ovo, 6 colheres (de sopa) de açúcar, 9 colheres (de sopa) de farinha de trigo, 1 colher (de sopa) de fermento em pó, 3 gotinhas de baunilha (opcional) e 1/3 xícara de leite. Misture tudo e a massa está prontinha! 

Agora basta untar uma frigideira antiaderente com um tiquinho de óleo e fazer as panquequinhas. Para cada panqueca, coloquei 2 colheres de sopa de massa. Use fogo baixo ok?

No final é só polvilhar açúcar e canela. Dizem as "boas línguas" que com brigadeiro ou doce de leite fica um escândalo!"

Aí, eu, que sou culinariamente ousada (para não dizer incompetente), mudei algumas coisinhas. Primeiro que eu bati tudo no liquidificador, como falei acima. Segundo que pus só uma colher de chá de fermento. Não ficaram tão super fofíssimas como as dela, mas ficaram beeeem macias! E por fim, coloquei diferentes quantidades de massa para testar. Fiz panquequinhas e panqueconas. Gostei mais das grandes, ficam mais de "encher os olhos"! Comi assim, pura mesmo, só com açúcar e canela. Mas com certeza com qualquer coberturinha deve ficar uma coisa pecaminosa!

A minha pilha de panquecas não ficou MUITO bonita, mas estava tão gostosa... ai ai, enchi o bucho! 

Leia Mais…

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Paradinha musical... e Glee!

Post rapidinho sobre um site que eu (que sou lerda e atrasada de tudo) descobri esses dias, ótimo para ouvir música online, com álbuns inteiros de muitos cantores! Vai lá: www.grooveshark.com. Claro que a maioria já deve conhecer esse site há séculos, né. Mas dá um desconto aí que eu tô devagar quase parando! :)

Fui parar lá por indicação de uma amiga. Na verdade eu estava procurando as músicas da série que virou um sucesso no mundo todo: Glee. Nem é lá grandes coisas, é uma série musical sobre o dia a dia de um coral de uma escola americana. Mas não é que vendo a gente vai viciando? Eita vício! E foi só digitar GLEE que apareceram TODAS as músicas.. tudinho...100%! Emocionante! Perdi umas boas horas procurando tudo quanto é artista que eu andei ouvindo nos últimos meses: Julieta Venegas, Jorge Drexler, Jason Mraz, Clube da Esquina, 14 bis, etc... Nada melhor que ouvir TODAS AS MÚSICAS DO MUNDO de graça e sem lotar o computador! Adorei!

Abaixo segue um vídeo da série Glee que me fez rir! Acho que é do episódio 3 ou 4 da primeira temporada. kkkkk

Leia Mais…

sábado, 10 de julho de 2010

Comédia em Pé - Fernando Caruso

Baseado no estilo de comédia de improviso, muito comum nos Estados Unidos, o "stand up comedy" tem feito MUITO sucesso no Brasil. E não é de hoje! Cada vez mais revelando gente boa de conversa, o espetáculo "Comédia em Pé" é simplesmente SEN-SA-CIO-NAL! Abaixo dois vídeos do Fernando Caruso, na minha opinião um dos grandes comediantes de stand up comedy do Brasil. Ele me fez rir TANTO quando via os vídeos, que nem percebi os quase 20 minutos gastos!



Leia Mais…

quinta-feira, 8 de julho de 2010

2014, no Brasil!

A Copa desse ano já está no finzinho e já é hora de ressaltar a próxima, que ocorrerá no Brasil. É o momento certo de apresentar o que o Brasil tem de bom, de natural, de artificial disfarçado de natural, de sol, de verde, de bicho, de montanha, de bonito, de gente boa, de cheiroso, de gostoso, de moderno... e a lista é grande! Só nós saberemos exatamente o que serão os próximos 4 anos, com obras que certamente acabarão por atrasar: estádios, aeroportos, linhas de metrô e trem. Viveremos a raiva de ver dinheiro público sendo gasto "a rodo" por conta de um evento, quando ele não sai "nem a pau" para tantas reformas que esse país precisa. Mas também sentiremos o orgulho de ver cada coisa linda que será erguida, inflaremos o peito de gosto diante das modernidades que apresentaremos ao mundo, teremos prazer em mostrar o que o Brasil terá a oferecer! Tudo bem. Acho que todo mundo já entendeu. A Copa de 2014 pode ser vista pelo lado bom ou pelo lado ruim... independente disso, já foi dada a largada. Mas essa enrolação toda é só para falar do logotipo da Copa de 2014, que foi oficialmente apresentado hoje. Antes eu quero mostrar alguns que (segundo dizem) estavam na disputa mas não saíram vencedores:


E abaixo o grande escolhido:



Gente... eu tô com problema de imaginação muito fértil ou o logo é IGUALZINHO ao Chico Xavier psicografando? kkkk 

 
Agora sem brincadeira, teve até entrevista com designers revoltados dizendo que o logotipo lembra mais alguém cobrindo o rosto de vergonha do que 3 mãos entrelaçadas segurando uma bola. Eu também não gostei muito. Na verdade, acho que essa escolha tinha que ser feita por mais representantes do povo brasileiro, se possível uma votação pela internet aberta a todos, e não por um grupo pequeno composto por Ricardo Teixeira, Oscar Niemeyer, Paulo Coelho, Ivete Sangalo, Gisele Bündchen, entre outros.

Leia Mais…

quarta-feira, 7 de julho de 2010

A Natureza em números

Apesar de não ser a maior amiga das contas, admito que a Matemática é uma coisa surpreendente. A verdadeira linguagem universal, pois é a mesma, não interessa onde. Suas bases se mantêm e cada vez que tento relacionar com a Biologia, fico mais e mais surpreendida de como ela realmente está em todo lugar. Esses dias dei de cara com esse vídeo lindo, que mostra de uma maneira bem artística como a sequência de Fibonacci está relacionada com a Natureza. Para quem não se lembra, ou nunca ouviu falar, a sequência de Fibonacci é a seguinte: 0, 1, 1, 2, 3, 5, 8, 13, 21, 34, 55, 89, 144... e por aí vai. Reparem que é fácil chegar a ela, já que os números surgem a partir da soma dos dois últimos (0+1=1, 1+1=2, 1+2=3, 2+3=5, etc). Pode parecer meio sem propósito e relativamente simples, mas essa sequência, além de ter ajudado muito na matemática básica, também está presente na arquitetura, na música e em alguns "aspectos naturais". Mas esse não é um post sobre matemática pura, quem tiver mais interesse nisso clique AQUI. Abaixo segue o vídeo que eu achei tão interessante.

Leia Mais…

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Detalhes de uma Copa

É... dureza essa vida de eliminado da Copa. Fiquei tão desanimada com a derrota para a Holanda que nem vontade de vir aqui, escrever, eu tive. Foi assim, tão absurda, tão revoltante, tão inacreditável, que eu...eu...eu...eu nem sei mais. Deve ter sido a minha boca maldita, pois eu escrevi um post aqui, há um tempinho atrás, dizendo que até torcia para a Eslovênia e para a Holanda, já que eles não ganhavam nada mesmo... (pausa para a minha cara grande, de quem levou na fuça...). Mas tudo bem... bola pra frente que daqui a 4 anos tem mais. Mas a Copa ainda não acabou!  E não é que eu tomei gosto pela coisa? Esses dias não teve jogo e eu acordei numa tristeza... sentindo uma falta de uma partidinha. O jogo entre Alemanha e Argentina foi quase feriado aqui em SP! E como foi comemorado o 4x0 da Alemanha! Acho que todo mundo que tinha comprado foguete para os jogos do Brasil aproveitou a deixa para estourar o lote inteiro!
Vencedores e derrotados à parte, os detalhes associados à Copa que eu achei interessante foram os seguintes:

1. Vídeo do técnico na Alemanha "limpando o salão" para a festa. kkkkkk Muito nojento!


2. O pequeno Salomão se desesperando após a derrota do Brasil


3. A frase infame que recebi por email: "O Saci tinha duas pernas até ser atingido por Felipe Melo". kkkkk

4. O garotinho que, contra todo o "protocolo", saiu fazendo a maior festa com os jogadores do Brasil antes do jogo com a Tanzânia (tá, eu sei que nem era Copa ainda, era amistoso. Mas foi tããão legal!)


5. A linda música da Coca-Cola para a Copa do Mundo! Melhor ainda porque termina com o Skank cantando!

Leia Mais…

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Harry Potter e as Relíquias da Morte

Está chegando!!!!



Leia Mais…
Related Posts with Thumbnails