quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Filosofia pós-Qualificação

"A vida é um resolver de problemas em série". Essa foi a frase que escutei de uma amiga hoje, ao fechar as portas para um período problemático da minha vida. Mas ela disse isso com otimismo, como se dissesse, "a vida tem e sempre terá problemas, cabe a nós ir resolvendo um por um e deixá-los para trás, fortalecidas". Realmente! O motivo de eu ter ouvido essa frase dela foi o fato de hoje ter sido a minha qualificação de doutorado. Eu já contei sobre ela AQUI. E é com um prazer enorme e um suspiro gigante que eu digo que PASSEI e muito bem nesse exame de arrancar os cabelos. A minha vida inteira eu fui muito perfeccionista quando o assunto é "estudar". Apesar de não ter frequentado os melhores colégios, dei meu jeito de aprender o suficiente para passar numa universidade federal. Lembro da semana do vestibular: o meu stress era tão grande e o peso da responsabilidade maior ainda que meu corpo deu uma enlouquecida. Minha boca apresentava uns espasmos a cada poucos minutos e minhas pálpebras não paravam de tremer. Sinais de um nervosismo que eu não queria admitir. Na prova para o Mestrado e para o Doutorado, passei pela mesma situação. Eu tenho essa mania horrorosa de me cobrar os melhores resultados mesmo quando sei que atingi o meu limite. E com a aproximação da qualificação de doutorado, tirei duas semanas para ficar por conta dos estudos. Fui para Belo Horizonte estudar dia e noite, sem parar. Após 5 dias, peguei uma gripe MUITO forte. Tão forte que fiquei de cama por alguns dias. A gripe veio acompanhada por uma dor de estômago constante, que me levou a uma noite de pesadelos e, por fim, a um desmaio daqueles beeem dramáticos. Resumo: fui parar no hospital, fiz alguns exames mas só uma sinusite foi detectada. Emagreci 2 quilos nesse período. Não consegui estudar por 8 dias seguidos. Entrei numa loucura na qual eu me via falhando vez após vez no dia do exame de qualificação. Voltei para São Paulo e foi quando uma conversa com minha chefe me fez parar para pensar. "Você já sabe tudo o que importa. Está tudo aí, na sua cabeça. Mas esse stress, essa tempestade que você faz, não te deixa enxergar claramente o quanto você sabe e é competente. Você nunca vai saber tudo. Eu não sei tudo. Mas é preciso encontrar calma e firmeza no conhecimento que você vem acumulando há anos. Não pense que você pode ser capaz. Saiba que é capaz. Tenha discernimento para escolher o que é mais importante estudar. Confie em você.". É óbvio que ela não disse isso tudo dessa forma. Esse foi só um resumo da nossa conversa. E o fato é que eu saí de lá e fiquei pensando e repensando e realmente vi com clareza como eu sempre repito esse mesmo ciclo de stress e doenças associadas quando me cobro muito. A verdade é que chegou um momento de eu ter confiança na minha capacidade e saber que muitas vezes eu já me testei e sempre passei nos próprios testes. Porque atitude é tudo. Postura abre portas e apresenta oportunidades. E eu percebi isso depois de quase me perder em meio a um turbilhão que eu própria fiz na minha cabeça, cheio de inseguranças e medos que só faziam me enfraquecer. Mas bola pra frente. Se tem algo de positivo nesse período que passou é que eu pude dar uma olhada nas coisas que me cercam, e posso dizer que nessas últimas semanas eu cheguei às seguintes conclusões:

- Família é tudo de bom... e mais um pouco. A gente sabe disso, mas a certeza bate com força mesmo é na hora do aperto, quando precisamos de um colo de mãe, uma preocupação de pai, um apoio de irmão.

- Amizade a gente cultiva... com palavras, gestos, compreensão. E se a amizade "pega", aí não tem mais jeito... ela está contigo e não abre! Tanta gente se manifestou tão carinhosamente nesses últimos dias, que eu nem sei como dizer a elas da importância que elas têm na minha vida.

- Equilíbrio é a palavra para uma vida saudável. E vale para tudo: alimentação, exercício, estudos, esforço... e por aí vai.

- A gente só para de aprender quando acredita que não pode mais. Nós nos limitamos, mesmo com relação aos detalhes. Eu, por exemplo, que sou uma negação na cozinha, resolvi aprender a ser uma mulher moderna. E e por isso que os blogs que andam me deixando feliz são de culinária. O primeiro é o Panelaterapia, que me diverte com o seu bom humor e me inspira com suas receitas para iniciantes. O segundo é o Kiss My Spatula, em inglês, com posts tão gostosos de se ler e fotos tão bonitas que me deixam numa onda de largar tudo e virar chef de cozinha!

- Por fim, preciso dizer que, ultimamente, só Joni Mitchell para me deixar tranquilíssima. É o meu vício musical do momento!



Agora, se me dão licença, vou ali ler CARAS que depois de tanto stress que passei, preciso de uma atividade que não gaste o cérebro!! hahaha!

PS: O vídeo é do meu gato FOFO coisa linda que tá cada dia mais dengoso!



1 comentários:

Sara disse... [Responder comentário]

Muitos PARABÈNS e muitas FELICIDADES por tudo o que Você conseguiu atingir!!! Agora aproveite para descansar e se mimar um pouco, que bem merece ;) Um abraco, Sara

Related Posts with Thumbnails