segunda-feira, 27 de setembro de 2010

O que a gente não faz por uma amiga! (ou "A corrida maluca para o casamento da Robs")

 Foto dos noivinhos de bolo mais legal que já vi! (Cortesia da Patty Kossugue)

Imagine que uma amiga vai casar e resolve escolher um sítio lindo, bucólico, local ideal para uma cerimônia religiosa seguida de uma festa. Agora imagine que esse "achado" fica só a alguns quilômetros da cidade, coisa de uma horinha e pouco. E ainda que a celebração vai começar às 20:00 de uma sexta-feira, para começar bem o fim de semana. Lindo, não?

Agora o parágrafo negro. Imagine que a amiga é uma daquelas queridonas mesmo, alguém para quem você carregaria água em peneira, atravessaria as marginais Pinheiros e Tietê na hora do rush só pra ter o prazer de vê-la dizendo o "SIM". Pois foi EXATAMENTE isso o que aconteceu. Não a parte da peneira, mas acho que ninguém entendeu isso mesmo. Em QUALQUER lugar do mundo, eu digo DO MUNDOOO, se você tem um compromisso as 8 você sai no máximo umas 2 horas antes, NO MÁXIMO!!! Mas não... São Paulo é outro mundo.. um universo paralelo, as regras comuns não se aplicam a essa megalópole. Alugamos um microônibus e marcamos de sair de SP às 5, no máximo, para chegar lá no horário. Primeiro avaliem a situação... o casamento vai ser chique e à noite... e todo mundo tinha que estar pronto e arrumadíssimo no calor do fim de tarde. Bom, a amiga valia a pena. Fomos lá. Claro que para começar tinha que chover.. desde cedo. Esperei ao máximo para sair de casa, mas lógico que, azarada como eu sou, algo ia me atrasar. Acho que minha vida é atrasada mesmo. Nesse dia, o cara do Censo do IBGE apareceu. Na hora EXATA que eu ia sair. E engatou uma conversa longa sobre a distribuição de renda no Brasil e bla bla bla... demorou mas ele foi embora. E porque ser pobre já não é desgraça o suficiente, eu tive que ir me arrumar na casa de amigas, saindo na chuva e levando o vestido de festa. O cabelo já era.. já começou por ai. Cheguei na casa das amigas tal qual um poodle penteado. Olhei no espelho e bateu a depressão. Escovadas prum lado, spray pro outro, o cabelo meio que se ajeitou. Fiz a maquiagem em 5 minutinhos e saímos correndo... na chuva. Chegamos na hora e só estavam metade das pessoas que iriam. Um monte de gente atrasada porque em SP é só chover para a vida parar. Somados todos os atrasos, saímos da USP às 17:30. Lembrando, o casório era às 20:00. Tranquilo, certo? Errado. Levamos quase 4 horas para chegar ao bendito local. Juro que se a gente fosse a pé daria o mesmo tempo. Agora me diz, o que fazer 4 horas num ônibus, numa viagem que não chega nunca mas é para chegar logo ali do lado??? A gente fez de tudo um pouco. Conversamos, dormimos, comemos biscoito, comemos cheetos, dormimos, escutamos música, dormimos, fizemos xixi em posto de beira de estrada, comemos mais, dormimos, TROCAMOS DE ROUPA (porque não ia dar tempo de trocar para a roupa de festa no local) e recebemos uma ligação da noiva às 21:00, querendo saber quando o padrinho dela (que estava no ônibus com a gente) chegaria. Chegamos às 21:20. Mico total. Um bando de gente suada, cansada, vestida com roupa chique, mas cara de engarrafamento. Agora me diz, isso é normal? Ficar preso no trânsito dessa forma é coisa de gente?

Apesar de tudo isso, valeu muito a pena. Apesar do vestido amassado, cabelo ensopado, maquiagem borrada, valeu demais. Foi uma festa linda, com direito a um "poster" dos noivos em tamanho real para quem quisesse tirar foto com eles sem incomodá-los, com o nome de TODAS as meninas solteiras colado com fita crepe debaixo do vestido da noiva (a gente obrigou a pobre a carregar esse peso a mais, e eu conferi, meu nome tava lá!), com tequila liberada (o que fez uns e outros ai passarem mal kkkk), com Elvis Costelo cantando "SHE" para uma noiva radiante, com gente se esbaldando com o jantar (lembre das quase 4 horas de viagem) e com um livro de presença todo decorado com fotos da vida do casal, inclusive fotos absurdas e vergonhosas NOSSAS (tem uma minha lá fazendo careta que é fim de carreira, dá vontade de chorar quando eu vejo hahaha). A festa foi ótima, para todo mundo, a volta de ônibus eu nem sei como foi porque capotei e só acordei na porta da USP, mas sem dúvida eu faria de novo, tudo por causa dessa amiga "estrupício, praga dos infernos" que a gente adora (não se assustem, é assim que ela me chama, carinhosamente!! kkkk)!

Feliz vida de casada, Robs! (E lembra dos amigos na hora de trazer uma lembrancinha da lua de mel, hein!)

3 comentários:

Letty disse... [Responder comentário]

*inveja* puxa, que pena que eu estava podre/acabada/doente/zuada/quebrada/destruída/etc. nesse dia... Queria mto ter ido, tenho ctz que foi ótimo (mesmo com toda a viagem! XD)

Sara disse... [Responder comentário]

Amizade é mesmo assim! Vale TUDO...

E quando Você vem visitar meus dois cantinhos? Só para relembrar...
http://cronicasdemuniqueealgomais.blogs.sapo.pt/
e
http://sara-boulevardofbrokendreams.blogspot.com/
Tenha um bom Domingo!
Beijinhos,
Sara

robs disse... [Responder comentário]

eeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee
sua praga dos infernos, ADOREI!!!!! ahhh e eu tb carregaria agua em peneira por vc viu estrupício :)

Related Posts with Thumbnails