segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Sobre como se sentem as sardinhas em lata

Um dia São Paulo ainda explode de tanta gente. Certeza. Como pode um lugar aguentar tantas pessoas zanzando pra cima e pra baixo diariamente? Eu tendo a ser uma pessoa de ótimo humor e relativamente tranquila. Mas tem dias... ahhh.. tem dias, que eu começo a ter delírios altamente vívidos em plena rua. E nesses dias não tem BOPE que me segure, eu sou praticamente o mais fodástico dos X-Men. Tudo normalmente começa com o simples ato de pegar ônibus. Simples em qualquer canto do Brasil, mas não em SP. Nãããão. Aqui é o mesmo que um campo de guerra. Dizem que a cidade vai melhorar se as pessoas deixarem os carros em casa e passarem a usar mais o transporte público. Hunpf! Sei lá se vai. Pode até ser que o trânsito e a poluição melhorem. Mas acho que um monte de gente vai morrer de raiva dentro dos ônibus ou esperando por eles. Porque, ao contrário do que pregou Tiririca: pior que tá, fica! Mas voltando ao ponto de ônibus. Pensem na situação. Feriado prolongado. Eu tentando ir almoçar no shopping.  E a pergunta que eu ainda não sei responder é POR QUÊ, MEU DEUS?? POR QUÊ EU TIVE ESSA IDÉIA RUIM DE IR AO SHOPPING EM SP, EM PLENO FERIADO? Juro que fui tão apertada num canto do busão, que quando tentei chegar pro lado, minha perna ficou presa no ar entre dois gordinhos folgados. E eu fiquei assim a viagem toda. Só com um pé no chão. E quando deu a hora de descer, alguém teve que me puxar que nem a gente puxa uma rolha de uma garrafa de vinho. Faltou fazer "PLOC". Coisa mais primitiva, meu Deus! E na volta, fiquei simplesmente 40 minutos esperando passar um dos 4 ônibus que posso pegar. Enquanto isso passaram 8 ônibus com o letreiro de "Jd. João XXIII" ou "Terminal Campo Limpo". Eu tenho um ódio tão fervoroso desses dois lugares, nos quais nunca fui, que chego até a sonhar com isso! Esses dias mesmo eu acordei suada, meio sem fôlego, porque no sonho eu tentava pegar um ônibus mas TODOS viravam Jd João XXIII ou Term. Campo Limpo. NO SONHO eu tive que ir à pé pra casa. Ninguém merece! Mas aí, tô eu tentando entrar na lotação mais lotada DO MUNDO, quando um velhinho chega me empurrando e reclamando que ninguém deixa ele entrar primeiro! Gente, que mania! Já não tem cadeira reservada? Ninguém vai roubar o lugar de ninguém! E aí o senhorzinho foi apertando, empurrando, até que eu perdi a paciência e falei pra ele ter mais educação com as pessoas, respeitar quem também estava ali na mesma situação. E que situação! Nisso eu já estava enxergando vermelho. Todo mundo para mim era um alvo em potencial. Ahh se eu tivesse um super bazucão, iria dar tiro pra todo lado! kkkkk.
Foi um horror. E sempre que isso acontece, o que é frequente, eu me pego pensando, filosofando, sobre os motivos que levam uma pessoa a escolher ter esse tipo de vida em SP. A única resposta é falta de opção, porque estressado, cansado, mal-humorado, mal pago e suado ninguém quer ser! Ahhh, mas nessas horas a minha recente idéia de largar tudo e ir pra Gramado bate forte! hahaha!

PS: Hoje, para tentar ser uma pessoa melhor e que é paciente e iluminada (kkkk) eu fui ao cinema ver "Nosso Lar", um filme baseado no livro espírita de André Luiz, psicografado por Chico Xavier. Gostei! Interessante, apesar de ser uma visão diferente da minha.

1 comentários:

Sara disse... [Responder comentário]

Como eu a entendo! Ainda ontem na volta a casa preferi uma looonga caminhada em alternativa a um BUS tipo "sardinha em lata"... mas vendo as coisas de forma positiva, caminhar até é saudável ;)

Related Posts with Thumbnails