quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

O burro de carga

De uma coisa eu tenho certeza: quem pede encomendas quando alguém vai viajar é porque nunca esteve do outro lado da situação. Uma coisa é encomendar algo pequeno. Um relógio, um mp3, uma lembrancinha. Outra coisa, e na maioria das vezes mais comum de acontecer, é pedir por um videogame, um notebook, um livro, etc. Sinceramente, as pessoas têm familia e amigos. Muitos amigos. E as pessoas têm um limite de espaço nas malas. Acima desse espaço, você tem que pagar, e caro, pra levar mais coisas (uma mala extra/excesso de bagagem custa uns 200 dólares a mais). O que me irrita é que, nem pra mim eu acabo levando tudo o que quero, porque além de ter pouco espaço, cansa demais carregar duas malas super lotadas. Lembrando que a gente sempre acaba levando uma lembrancinha pra familia e pros amigos mais chegados. Daí a alguém pedir algo que vai obviamente ocupar espaço, não tem o menor sentido. Mas não é que as pessoas pedem? E a maioria dessas sem-noção é amigo do amigo, namorado da fulana...

Pois é. Eu aprendi a dizer não. Fico extremamente irritada com isso, mas agora já sei dizer: se quiser eu mando por Fedex, ou compro no DutyFree ao chegar a SP, ou então se você pagar o meu excesso de bagagem eu também levo... aprendi a dizer não porque tem muita gente que não tem noção. Eu vim pros Estados Unidos pra ficar 3 meses estudando. A mala que eu trouxe é diferente daquela que um turista leva pra 1 semana/ 15 dias de viagem. A minha mala é mala pra quem vai morar em outro país. Eu vim no inverno. Eu precisei comprar um monte de roupas e um sapato pra aguentar os tempos super gelados. Só isso ocupou uma das malas inteira. INTEIRA. Tive que falar não pra pelo menos umas 3 pessoas que me pediram notebooks. Duas delas eu nem sou próxima. Tive que limitar as coisas que eu queria, pois tenho uma familia que tem prioridade na hora de pedir um espacinho na minha bagagem pra presentes. E ainda assim me sinto mal ao dizer não. Porque eu acho que isso deveria ser óbvio. Eu nunca fui de pedir nada porque penso em quem está viajando. Portanto, lamento, mas dessa vez vai ser assim: tem no Duty Free?? Reserva que eu compro quando chegar a SP. Não tem? Mande entregar na casa onde eu moro em Boston que eu reenvio por Fedex. E é claro que a pessoa terá que arcar com as taxas altas e qualquer problema que possa ocorrer na entrada e entrega do produto no Brasil. Terei prazer em levar presentes quando vier para uma visita rápida (mas mesmo assim só pra familia e amigos mais chegados).

Ainda assim me sinto a chata...

4 comentários:

Gui (Guizeiro) disse... [Responder comentário]

Ufa, seu relato fala de notebook, concordo pq é meio frágil, mas pra minha uma roda de alumínio pra Captiva, tranquilo né? Ai é 1/3 do preço aqui, a dica é colocar em plastico bolha uns 3m é o suficiente.. Valeu!

Bjs

Ana Campanha disse... [Responder comentário]

hahahahahaha! só você mesmo pra me fazer rir a essa hora da manhã! hehe

Bia disse... [Responder comentário]

Certíssima Ana!!! Concordo em gênero, número e grau!! Eu até trago mas isso tem um preço... Além da mala, vc precisa ir comprar, precisa carregar, afff!!!

gislene disse... [Responder comentário]

Você sabe o que é o Amor Insuperável?
Espero você em meu blog, amiga!

Beijo e uma linda semana!

Gi.

Related Posts with Thumbnails