segunda-feira, 28 de maio de 2012

Porquê eu faço o que faço

 Quem fez faculdade e logo depois resolveu fazer uma pós-graduação strictu-sensu deve ter ouvido isso algumas vezes, da família, amigos ou conhecidos: "Ahh, então você só estuda? Mas quando vai começar a trabalhar de verdade?". Para as pessoas que, como eu, fizeram mestrado, doutorado e sempre (ou quase sempre) viveram de bolsa, esse tipo de comentário é especialmente dispensável e consegue acordar aquele cantinho altamente irritável da nossa mente que tem vontade de responder: "e desde quando isso é da sua conta?". 

Acho que quem pergunta coisas assim não tem noção de como isso pode ser ofensivo. Pensando mais calmamento sobre o assunto, cheguei à seguinte conclusão: o sucesso na profissão está relacionado ao ganho de "poder", o que se reflete, na maioria das vezes, como prestígio+dinheiro. Espera-se que as pessoas que se graduaram entrem no mercado de trabalho e façam sua fama. Se uma pessoa conseguiu fazer uma pós-graduação, então é cada vez mais esperado que as portas se abram para a sua expertise. Só que, o que as pessoas não entendem é que tem gente que tem planos diferentes do que só ganhar prestígio+dinheiro. 

Sou bióloga e na minha profissão quase todo mundo tem um mestrado ou doutorado. Trabalho como pesquisadora/cientista, e nesse ramo, TODO MUNDO precisa ser PhD se quiser evoluir na área acadêmica. Mas o que a grande maioria das pessoas não percebe é que eu trabalho com Ciência porque gosto de Ciência. Já pararam pra responder à seguinte pergunta: O que te move nessa vida? É uma pergunta super complexa, pode ser vista de diversos ângulos, mas, o que importa, pelo menos pra mim, é saber que eu gasto meu tempo com algo que me instiga. Basicamente falando, eu trabalho com perguntas e respostas. Por quê? Porque nada nesse mundo me parece tão interessante quanto o conhecimento. Saber como as coisas funcionam sempre foi um tópico que me deixava por horas ocupada em ler e estudar. Eu gosto de dedicar minha vida a isso. Da mesma maneira, eu gosto de tentar estimular o mesmo em outras pessoas, através do ensino. Quem produz (resultados/conclusões através da ciência) deveria também se dedicar a passar o conhecimento adiante. Se admirar com "a vida, o universo e tudo mais" é muito empolgante e eu prefiro 1 bilhão de vezes dedicar minha vida a isso do que ganhar 10, 20, 50, 100 mil por mês e ser uma daquelas pessoas que só trabalha pra ganhar dinheiro. Entendo que, para a maioria das pessoas, trabalhar = ganhar dinheiro e se elas tivessem os títulos que eu me empenhei para ter, tentariam conseguir a maior quantidade de recompensas possíveis. Não digo que eu trabalho só pelo prazer, claro que não. Mas se eu conseguir um emprego onde eu ganhe um tanto suficiente que me permita ter conforto, viajar/conhecer/visitar outros lugares/pessoas e me admirar com meu trabalho, eu sei que o meu objetivo terá sido alcançado. 

Portanto, fica a minha resposta para a tão ingrata pergunta do início desse texto: Eu nunca vou começar a trabalhar de verdade, segundo os seus parâmetros. O meu trabalho já é real o suficiente pra eu passar uma vida inteira ao redor dele. Eu nunca vou trabalhar só pra ganhar dinheiro e ficar infinitamente rica. Se, por um acaso, isso acontecer, terá sido um feliz acidente de percurso. Por favor, mude sua pergunta, pois a sua falta de assunto já está me deixando sem paciência para eventuais conversas relevantes que poderíamos ter.


PS: Obviamente, quando uma pergunta dessas acontece na vida real eu só dou um sorrisinho amarelo e mudo de assunto.

Imagens: NET

1 comentários:

Luciana disse... [Responder comentário]

Isso mesmo Ana! No dia em que as pessoas entenderem que devemos fazer o que nos faz feliz...nos faz bem...elas vão nos dar razão. Pensar em música tb tem disso....rs. Bjs

Related Posts with Thumbnails