quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Uma mulher adulta em pleno uso das faculdades mentais

Imagem: NET

Minha dermatologista me colocou num tratamento com um produto desses super controlados. Ela me deu 3 vias de uma declaração que eu precisei assinar dizendo que sabia de todos os problemas que eu poderia desenvolver, ao tomar tal medicamento, e me comprometendo a não engravidar durante a utilização do medicamento, pois esse produto causa má formação embrionária. Me deu um pedido de exame de sangue para dosar enzimas do fígado e colesterol/triglicérides.

Fui eu, fazer o tal exame de sangue. Detesto agulhas. Trabalho com elas, faço cirurgias, mas eu mesma não suporto a dorzinha de uma agulhada. Normalmente, quando não tenho outra saída a não ser a coleta de sangue, fico amiga da moça que vai me dar a agulhada, nos 3 minutos de cadastro que antecedem o procedimento. Conto que eu sou uma pessoa boa, que pago meus impostos, que vivo de aluguel e pego transporte público. Falo que moro longe da minha família e trabalho mais de 40 horas por semana. Ressalto que tenho o maior respeito pela profissão de técnicos de análise clínica. Pergunto umas 30 vezes se vai doer muito e se existe uma chance de eu ter uma hemorragia fatal. Mostro os dois braços e digo que minhas veias são finas e profundas e que eu confio que ela vai acertar de primeira. Basicamente eu me humilho, me sinto a coitada, faço qualquer coisa pra mulher me dar um tratamento VIP e se sentir responsável pela minha vida. É muito parecido com o que eu faço sempre que vou depilar ou vou à manicure (fico meia hora dizendo como minhas cuticulas são finas e como sempre sangram e que eu confio que ela não vai tirar um bife do meu dedo, etc...). No final das contas, o exame é feito, sempre dói pra cacete um pouco, mas eu saio dali me sentindo uma mártir, com a alma até mais leve.

Em seguida fui à farmácia comprar o tal remédio do mal. Quando fui assinar o termo de responsabilidade, percebi que tinha um local pra marcar, dizendo que eu tinha feito um exame de gravidez na data tal e que não estava grávida. Só que eu não fiz exame nenhum. Não que exista a menor possibilidade de gravidez. Mas eu nem sabia que precisava fazer o tal exame. Pensei na possibilidade de não conseguir levar o remédio pra casa e da inutilidade de, nesse caso, ter feito um exame de tortura sanguínea. Ahh, não... meu martírio seria por alguma coisa. Ignorei o local que falava sobre o exame de gravidez e assinei em baixo. Óbvio que o cara da farmácia reparou e disse:
Ele: A senhora esqueceu de preencher essa parte. 
Eu: Não, não, eu acabei de fazer um exame de sangue. 
Ele: Mas então você precisa esperar o resultado e trazer aqui pra gente, antes de comprar o medicamento. 
Eu: Mas eu não fiz teste de gravidez. 
Ele: . . . mas precisa fazer. 
Eu: Não há nenhuma chance de eu fazer OUTRO exame de sangue quando tem apenas 10 minutos que eu quase morri em um! 
Ele: .........Espera, vou chamar a gerente.
Ela (gerente): Bom dia! Sabe o que é, Sra, pra esse medicamento é preciso ter certeza de que uma gravidez não esteja em andamento.
Eu: Ah, não, eu acho que tá tudo bem.
Ela: (levantando uma sobrancelha) Acha??
Eu: Não, eu sei que não há possibilidade de gravidez, eu falei "acho" pq é um vício de linguagem meu.
Ela: (fecha um pouco o olho, desconfiada) Sei...
Eu: (ficando sem graça porque a mulher acha que eu estou grávida)... Moça.. eu juro!!!!!
Ela: Tudo bem, Sra, é só pq em caso de gravidez a criança pode ter extensas deformações e....
Eu: Moça, eu tenho mestrado, doutorado, estudei biologia, eu entendo do perigo associado a esse medicamento, eu sou uma mulher adulta em pleno uso das minhas faculdades mentais, mas não há nada nesse mundo e nem no outro que me faça ir pra tortura da coleta de sangue assassina de novo!!!
Ela: Ahhh, tá! É só medo de agulha então? kkkkkk Tudo bem, não precisa mesmo do teste de gravidez é só ter certeza e tá tudo certo, é porque você estava com uma cara de culpada que me deixou preocupada!

Essas coisas só acontecem comigo!

Leia Mais…

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Pós-Doutorado

Figura: NET
E, finalmente, minha vida profissional parece estar saindo do Stand by e seguindo em frente. Cerca de 1 ano após o término da minha bolsa de doutorado eu ganhei uma bolsa de pós-doutorado! \o/
Desta vez, vou parar na UNIFESP, na Escola Paulista de Medicina, para fazer mais alguns anos de pesquisa! Uma amiga me perguntou se meu objetivo era passar por todas as universidades federais possíveis (hahaha), mas na verdade eu só continuo tentando ficar no "esquema do jogo".

Nas últimas semanas, logo após o Carnaval, procurei por apartamentos e estou de mudança, no final desta semana, lá pros lados da UNIFESP. Ano novo, vida nova MESMO!

Leia Mais…

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Os livros de 2012

Ano passado eu li 26 livros. Esse foi um ótimo número, já que nos últimos anos li bem menos. Muitas vezes eu termino de ler um livro me dá uma vontade enorme de conversar a respeito dele com outras pessoas que também já o leram. Ou participar de um fórum. Qualquer coisa que permita uma troca de informação que, muitas vezes, me ajuda a descobrir detalhes e pontos de vista interessantíssimos. Pensando nisso, e também em conseguir recomendações de outras leituras, me inscrevi num site chamado Goodreads, que permite que cada pessoa monte sua biblioteca de livros lidos, que está lendo e que quer ler. É interessante porque existem fóruns específicos, comunidades dedicadas à discussão de obras, de gêneros, clubes do livro e mais um montão de coisas. Obviamente você pode ficar amigo de outros usuários e acompanhar o que eles estão lendo e receber sugestões. Pode, ainda, compartilhar citações, trivias, participar de pesquisas, etc. Só tem um porém, o site é em inglês. Existe um serviço praticamente igual, em português, chamado Skoob. escolhi o Goodreads porque além de eu ter amigos que não falam português, por lá existe um número bem superior de usuários, inclusive alguns dos meus autores favoritos. Se alguém quiser me encontrar por lá, é só procurar por Ana Campanha.

Bom, esse post não é para ficar falando só do Goodreads, mas sim para mostrar os meus livros lidos em 2012. São eles:

1. Here, Have a Husband - Heather Gean
Um livro fraquinho e relativamente "filme de romance de sessão da tarde". Li enquanto estava trabalhando nos Estados Unidos, não achei muito interessante.

2. Game of Thrones (A Song of Ice and Fire #1) - George R. R. Martin
3. A Clash of Kings (A Song of Ice and Fire #2) - George R. R. Martin
Sem palavras para descrever o que é essa série. Abaixo estão os demais livros da série (até agora, 5 livros) todos MUITO bons. Estão na minha lista de 10 melhores, com certeza. Pra quem gosta de fantasia medieval, personagens fantásticos, magia, muitos vilões e armações sem fim. Simplesmente sensacional.

4. O Mágico de Oz - Frank Baum
Quase todo mundo já conhece. Uma fantasia fofa, rotulada como infantil, mas que possui vários momentos muito estranhos.

5. Coisas Frágeis -Neil Gaiman
ADORO o Neil Gaiman. Já falei isso várias vezes. Ele tem um estilo cativante, mas extremamente bizarro. Esse é o livro 1 (são 2) e são vários contos. Alguns são ótimos (a maioria é de terror/suspense/bizarrice) alguns são estranhos demais, outros chatos. No total, acho que vale a pena, mas esse não é nem de longe um dos melhores livros dele.

6. Ciranda de Pedra - Lygia Fagundes Telles
Um daqueles livros que eu AMEI o início. Quando começa a segunda parte do livro, o encanto acaba. Fiquei até triste porque parei de gostar de personagens que me encantaram, no início.
7. A Storm of Swords (A Song of Ice and Fire #3) - George R. R. Martin
8. A Feast for Crows (A Song of Ice and Fire #4) - George R. R. Martin
9. A Dance with Dragons (A Song of Ice and Fire #5) - George R. R. Martin
Já comentei sobre a série logo acima.  

10. A Cidade e as Serras - Eça de Queiroz
Gosto bastante do jeitão dos livros do Eça de Queiroz. Só que esse não é dos melhores. É mais arrastado e não tem tanto a descrição das pessoas com termos tão de "época" que me divertem tanto.
11. 1984 - George Orwell
Absolutamente sensacional. Não sei como eu ainda não tinha lido este clássico. Não conseguia parar de ler e fiquei deprimida com a leitura assustadora que fala de um futuro distópico, no qual o Governo consegue um controle "total" do ser humano. Só lendo, pra entender. Acho que ainda vou fazer uma postagem só sobre ele.

12. I Killed the Man that Wasn't There - Darrell B. Nelson
É um livro com quatro contos, sendo que o título é o mesmo de um deles. São histórias estranhíssimas e, exatamente por isso, chamam a atenção. Algo como um "além da imaginação"!
13. Blackberries, Blackberries - Crystal Wilkinson
Mais um livro de contos. Todos, desta vez, falam de mulheres negras vivendo nos Estados Unidos, numa época e em condições em que elas precisavam ser muito fortes para sobreviverem. Alguns contos são maravilhosos, outros meio arrastados.

14. Billions and Billions - Carl Sagan
Carl Sagan é um dos seres humanos mais inspiradores que já existiram. Além do foco científico e ético, esse livro foi o último que ele escreveu, antes de morrer. Inclusive, a parte final do livro fala dos seus últimos dias de vida.

15. One More Winter: A Short Story - Rebecca K. O'Connor
Fraquíssimo. Tenta puxar pro lado dramático de uma pessoa que convive com a culpa (por vários motivos), mas acaba virando um dramalhão mega exagerado.

16. Eu Sou o Mensageiro - Markus Zusak
Do mesmo de "A Menina que Roubava Livros". Um livro lindo e gostoso de ler.
17. Feliz por Nada - Martha Medeiros
Mais um livro de mini-contos e reflexões da Martha. Mais um livro bom!

18. Neuromancer - Willian Gibson
Esse é um dos super clássicos que todo "nerd" ama (ou deveria amar). Eu queria dizer que foi um livro único, já que foi a primeira vez que o conceito de Matrix foi criado e fala de tecnologia e mundos virtuais, coisas que me atraem bastante. Mas, pra mim, foi um livro confuso, cansativo e, na minha opinião, não aprofundou os personagens de uma maneira interessante. Senti uma enorme frustração.

19. Bossypants - Tina Fey
Livro de uma humorista americana bem conhecida. Achei legal, mas muita coisa só faz um sentido maior pra quem mora lá, pois daqui não acompanhamos os detalhes de uma eleição americana, de um programa específico deles e de certos aspectos da sua cultura. Mas esse livro é um super "hit" por lá.

20. Inheritance - Christopher Paolini
Esse livro fecha a "Trilogia da Herança", que começou com Eragon. Apesar de eu ter gostado muito da série, que envolve dragões e seus "cavaleiros", tive momentos de amor e ódio com esse último volume. No geral, não gostei do destino de muitos personagens.

21. The Fault in Our Stars - John Green
Este livro era o dodói de todo mundo quando o li. É um livro muito bonito e triste, sobre adolescentes vivendo com câncer. Mas acho que comecei lendo com uma expectativa tão grande que não achei esse "balaio todo". Vale a pena ler, mas leia sabendo que é infanto-juvenil.

22. Big Question From Little People: and Simple Answers From Great Minds - Gemma Elwin Harris 
Um ótimo livro que pega as perguntas que mais atormentam as crianças e coloca especialistas nos assuntos para responderem. Muito interessante!!!

23. Laranja Mecânica - Anthony Burgess
Assim como o filme, muito bom! O livro é bem difícil, no início, pois o autor usa um vocabulário diferentão, para caracterizar os grupos de adolescentes "doidões".
24. Fundação - Isaac Asimov
25. Fundação e Império - Isaac Asimov
26. Segunda Fundação - Isaac Asimov
Isaac Asimov é o cara. Esses livros entraram fácil na lista dos que eu mais gostei (na vida). Conta a história de uma sociedade, num futuro bem distante, que desenvolveu a "psico-história" e conseguiu prever seu próprio fim e propor um plano para o estabelecimento de uma sociedade organizada, que levaria séculos para ser formada. É MUITO bom. Não é à tôa que ganhou prêmios e são super cultuados até hoje.

Leia Mais…
Related Posts with Thumbnails