terça-feira, 7 de maio de 2013

Efeito Paul McCartney

Figura: NET
Eu estive recentemente em BH, para um Simpósio MUITO bom, exatamente com o tipo de coisa que estou lidando no meu pós-doutorado. O simpósio aconteceu entre os dias 2-5 de Maio, no Ouro Minas Palace Hotel, o melhor dos hotéis de Belo Horizonte. Em BH, no dia 4 de Maio, foi o show do Paul McCartney. Adivinha onde ele estava hospedado?

Pois é... entrar e sair do hotel, durante a passagem do Sir Paul McCartney não era nada fácil. Eu, que sou muitíssimo desligada, nem sabia que ele estaria por lá, na mesma data. Um dia cheguei ao Hotel e achei estranho ter tanta gente parada, encarando os elevadores que desciam. No dia seguinte, mais estranho ainda foi encontrar a rua lotada de ônibus, um deles da Argentina, e ver uma multidão cantando músicas que para mim eram dos "Beatles". Sim, a minha noção pra música é tão pouca que se um integrante de uma banda faz carreira solo, eu sempre associarei suas músicas ao conjunto. Até que, no dia 4, um frenesi tomava conta das pessoas que conseguiam entrar no saguão do Hotel. Daí eu fui perguntar se era verdade MESMO que o Paul estava por ali e me responderam com olhares chocados, como se eu tivesse perguntado alguma heresia, como se eu fosse um E.T. As palestras estavam cada vez mais vazias e, quando se aproximou do horário em que o cantor sairia pro seu show, o espaço no lobby era disputado quase no tapa. Todos olhando pros elevadores panorâmicos. Quando um deles ia até o último andar e começava a descer, a expectativa era quase palpável. Quando percebiam que era algum pobre mortal, os murmúrios de decepção tomavam conta. 

Como eu sou uma pessoa adulta e responsável, e como era ÓBVIO que o Paul McCartney NUNCA passaria no meio daquela multidão (e sim sairia escondido pelos fundos), fui a primeira a entrar para a palestra seguinte. O auditório estava somente com 1/10 da sua capacidade, já que a maioria ficou lá fora, à espera de um milagre. O palestrante começou a ler o título do trabalho que apresentaria, quando de repente: AAAAAAAAAEEEEEEEEEEEE!!!! UHUUUUUUUUU!!!! EEEEEEEEHHHHH!!!! - Gritos histéricos vindos do saguão... TODOS que estavam no auditório se entreolharam, ninguém sabia o que fazer, como reagir, até que duas senhorinhas comentaram em voz alta: Vamos até lá, tentar ver o Paul de perto?

Nessa hora, meus amigos, o caos de instaurou. Várias pessoas civilizadíssimas, em suas roupas sociais impecáveis e poses de especialista, simplesmente deram um pinote e saíram correndo pra tentar alcançar a porta. Eu larguei bolsa, casaco, celular... nunca usei tanto os meus dois metros de perna como naquele momento... era as velhinhas ou eu... corri como uma gazela e cheguei na frente de todo mundo. Infelizmente, quando encontramos a multidão, no lobby, o Paul já tinha saído. Ainda tinha gente tirando foto da entrada do hotel, como se o local onde ele passara tivesse se tornado algo muito valioso. Confesso que fiquei decepcionada. Não que eu seja muito fã do McCartney. Na verdade, nunca nem fui a show algum dele, mas era ele, poxa! E esteve ali, por alguns segundos, na "sala ao lado". E eu não vi! Perdi a chance de me tornar a próxima Sra. McCartney (kkkkkkkkk!!).

Voltei pro auditório e tive que entrar fazendo pose, fingindo que aquela louca pernuda que tinha saído correndo, quase passando por cima das velhinhas, não era eu. Fiz cara de muito importante e voltei pro meu lugar.

1 comentários:

Unknown disse... [Responder comentário]

Anna sempre fazendo 'anisse'! HAUIEHUIUEIHIUHEIUHUEIUHEIUHUIEHUI impossivel atropelar as velinhas, se vc tinha tanta perna

Related Posts with Thumbnails