segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Uma pontinha do Rio de Janeiro

A minha ideia do Rio de Janeiro foi aquela formada quando eu tinha 15 anos de idade. Nesta época, em 1995, estive lá somente por um dia, voltando da Bahia, e tive a chance de conhecer o Cristo Redentor. Esse foi o ponto alto de uma viagem maravilhosa e eu deixei a cidade muito impressionada com a imensidão de tudo, as cores, os enormes espaços abertos que mais pareciam uma pintura, o fato daquele lugar incrível ser aqui mesmo no Brasil, tão perto de Minas. E lá se foram 20 anos sem nunca mais pisar no Rio. Até que... em Junho deste ano estive por lá!

Escolhemos ir de ônibus, o que nos deu a chance de chegar cedo e aproveitar desde o primeiro dia do feriado de Corpus Christi. As minhas impressões bem rápidas ficam aqui, datadas por dia, mas com certeza eu precisaria de algumas outras viagens para conhecer o basicão dessa cidade tão bonita.

Dia 1 - Morro da Urca, Bondinho e Pão de Açúcar
Resolvemos deixar o primeiro dia, quando estaríamos mais cansados da viagem de ida, para conhecer um só lugar e um dos mais famosos. Com ajuda de google maps e vários blogs conseguimos nos virar na cidade e pegar boas dicas. Fomos de ônibus pro morro da Urca e, é claro, descemos no ponto final (bem depois do que deveríamos) e tivemos que voltar tudo a pé. Isso não foi nenhum problema, já que andamos um bom tempo pela mureta da Urca, aproveitando a incrível Baía de Guanabara e a vista do Cristo Redentor.

Mureta da Urca

Demos sorte também no horário que chegamos para pegar o bondinho. A fila foi rápida e logo subimos para uma das vistas mais incríveis que já vi na vida! Tanto do morro da Urca quanto do Pão de Açúcar é bem difícil tirar uma foto ruim, já que tudo é de chorar de tão bonito! =)

Cristo Redentor visto do Morro da Urca
Baía de Guanabara vista do Morro da Urca

Baía de Guanabara vista do Morro da Urca

Saímos de lá antes do pôr do sol e esta foi uma decisão acertada. Aparentemente esse horário é um dos mais disputados e as filas para descer são absurdamente grandes. Aproveitamos para passear um pouco no complexo que fica ali ao redor, da Marinha, Exército e Aeronáutica.

Praia Vermelha e Copacabana vistas do Pão de Açúcar

Por fim, demos uma passadinha em um barzinho/restaurante em Botafogo (claro que eu não lembro o nome... mas é pertinho do metrô) e pedimos um galeto muito bom! Dizem que no Rio é tudo muito caro... e é verdade... mas morando em SP eu já me acostumei aos preços abusivos e achei tudo no Rio na média daqui ou um pouco mais barato.

Dia 2 - Confeitaria Colombo e Centro do RJ
Após muitas horas de sono acordamos para tomar café na Confeitaria Colombo do Centro do Rio e que decisão acertada! Tá certo que é caro (em torno de R$50,00), mas passado o susto entramos para comer e beber à vontade... e tem de tudo, meu povo! Frios, pães (inclusive pão de queijo, pão na chapa, torrada gigante, broas, sucos, café, leite, chás, bolos e bolinhos, biscoitinhos, frutas e a lista só continua. Comemos até acabar o horário do café e dali saímos em um passo moroso para conhecer a região.



Clarabóia da Confeitaria Colombo
 Seguimos para o Real Gabinete de Leitura, que é realmente uma biblioteca muito bonita com livros portugueses, e fomos procurar 2 igrejas que estavam na lista: São Francisco da Penitência e Igreja N. Sra. do Carmo da Antiga Sé. No caminho nos perdemos algumas boas vezes, paramos em todos os sebos e livrarias, compramos livros (hahaha!), descobrimos praças e chegamos à conclusão que o Centro do Rio é bem bonitão. Ao chegar no Largo do Carioca, finalmente encontramos a Igreja de São Francisco. Ela fica lá no alto, é preciso subir uma boa quantidade de degraus e ela é bem simples (e ainda assim bonita). Descansamos por ali mesmo e ensaiamos entrar no Teatro Municipal, mas isso atrasaria o passeio da tarde. Desistimos e continuamos até chegar à Igreja da Antiga Sé, um lugar lindo, que já foi palco da coroação dos "Dom Pedros" e do casamento da Princesa Isabel.

Real Gabinete de Leitura

De lá, fomos para o Museu do Catete e chegamos perto do encerramento. Apesar da correria para ver tudo este é um museu que vale muitíssimo a pena. Além de já ter sido a sede do Governo, abriga uma exposição bonita (quando fomos, era sobre o Getúlio) e o visitante ainda tem a opção de passear nos jardins enormes e lindos.

Jardim do Palácio do Catete

Sala de reuniões do Palácio do Catete

Tentamos passear na Marina da Glória e no Flamengo, mas a noite já estava chegando, as ruas ficavam cada vez mais vazias e estranhas, portanto resolvemos ir direto pra última parada: Beco da Sardinha! É um local super simples, com alguns botecos que servem principalmente esta iguaria e cerveja. Valeu o dia e o dinheiro! =)

Dia 3 - Lapa, Santa Teresa e Copacabana
Acordamos bem resolvidos a andar na Lapa e subir para Santa Teresa a pé. Com essa ideia em mente e o google maps preparado nos celulares, chegamos aos Arcos da Lapa e... vou te contar... não entendi a graça da coisa. É só uma praça sem muito o que ver e os Arcos ficam lá. Dizem que essa região ferve mesmo é à noite, é um reduto boêmio, e por aí vai. Infelizmente não foi nessa viagem que conseguimos ir pra alguma balada, portanto, da Lapa só vimos isso.

Escadaria Selarón
Chegamos à Escadaria Selarón, que é uma belezura e dá vontade de ficar lendo e analisando os quase infinitos azulejos grudados ali. Decidimos por conta própria subir toda a escadaria e rumar para Santa Teresa. Isso porque o famoso bondinho de Santa Teresa ainda está parado para reformas. No meio do caminho paramos pra descansar porque a subida é puxada! Quase derretendo de tanto subir morro e virar/se perder por caminhos, chegamos finalmente ao Parque das Ruínas, um casarão cheio de coisinhas artísticas e que é um mirante pra Baía de Guanabara, muito bonito! Ali recuperamos o fôlego, passou a sensação de que iríamos desmaiar de tanto calor e seguimos pro almoço no Bar do Arnaudo.

Escadaria Selarón
Escadaria Selarón

Parque das Ruínas
 Basicamente, o Bar do Arnaudo serve uma comida nordestina deliciosa! Pedimos uma carne de sol com mandioca, abóbora e batata doce e quase morremos de tanto comer. O que achei interessante foi o bar estar completamente vazio (na hora do almoço). Não sei se pela reforma dos trilhos do bondinho (que passa ali na frente) ou se por ser ainda cedo, mas acho bizarro um bar com uma comida tão boa estar sem ninguém. O famoso Bar do Mineiro ficava bem mais à frente, precisava descer morro no maior solão, portanto decidimos descer logo pra praia.

Chegamos a Copacabana (primeira vez na praia depois de dois dias no Rio), descemos em frente ao Copacabana Palace e resolvemos andar até a outra ponta. Mais uma vez, erro de cálculo, achei que a caminhada nunca chegaria ao fim. Mas quem liga, com uma paisagem incrível daquelas? O tarde estava perto do fim, o calor tinha ido embora, o mar estava maravilhoso e há anos eu nem passava perto de praia alguma. Depois de uns 40 minutos, chegamos ao Forte de Copacabana.

Dentro do forte tem um museu muito legal, uma exposição histórica-militar, e do lado de fora tem a incrível Confeitaria Colombo e o Café 18 do Forte. Como a Colombo tinha uma fila gigante, ficamos no 18 do Forte (que é literalmente do lado, a pouquíssimos metros um do outro), tomamos um café e descansamos num lugar verdadeiramente paradisíaco. Até tentamos ficar um pouco na areia e entrar na água, mas o sol já tinha ido embora e o friozinho não ajudou em nada.

Praia de Copacabana

Dia 4 - Pedra de Guaratiba e Praia do Recreio 
Fomos pra Pedra de Guaratiba e passamos por uma via crucis para chegar lá. Metrô, ônibus até um terminal, ônibus BRT mais demorado da vida, chegamos! O calor... o calor era indescritível! Paramos no píer, demos uma olhada no local e resolvemos ir mesmo pra praia do Recreio.
Pedra de Guaratiba
Paramos bem na pontinha da praia e, depois do almoço, conseguimos finalmente entrar na água e aproveitar o que o Rio de Janeiro tem de mais famoso! Último dia, quase na hora de embora e ATÉ QUE ENFIM tivemos uma tarde de areia e água salgada! Foi muito divertido, por umas duas horas, depois passamos uma outra hora inteira pra tirar areia das pernas, da roupa, do pé, da barriga, das costas... Mas, enfim, valeu a pena!

Voltamos com a sensação de que não vimos um nada do Rio. Uma cidade tão grande, linda, cheia de recantos!

2 comentários:

C. disse... [Responder comentário]

OMG a foto do Real Gabinete de Leitura :o estou de queixo caído... que delicia!

Ana Campanha disse... [Responder comentário]

Sim, apesar de ser um local pequenino eh muito lindo!

Related Posts with Thumbnails